Mudas clonais triplicam produção de café em Acrelândia

Cesalpino Araújo se dedica a pesquisar quais variedades de café clonal mais se adaptam à realidade do solo e as condições climáticas de Acrelândia (Foto: Leônidas Badaró)
Cesalpino pesquisa variedades de café clonal adaptáveis a Acrelândia (Foto: Leônidas Badaró)

Com o objetivo de aumentar a produção de café, o governo do Acre distribuiu, ao longo dos últimos anos na região do Ramal Granada, em Acrelândia, mais de 300 mil mudas de café clonal para 154 produtores, em uma área plantada de 176 hectares.

Aliada ao investimento de aquisição de mudas com recursos próprios dos cafeicultores, a produção de café tem crescido de forma considerável na região.

O secretário de Estado de Agricultura e Pecuária (Seap), José Carlos Reis, aproveitando o início da época da colheita do grão, visitou algumas propriedades para conferir a qualidade e produtividade do café do município.

Um dos produtores que recebeu mudas clonais do governo foi Vanderlei de Lara. Ele tem seis hectares cultivados, emprega 23 pessoas só na colheita do café e conta que espera uma produção três vezes maior que as lavouras de mudas convencionais.

“No convencional eu colho até 20 sacas por hectare. Com o clonal, minha produção é superior a 80 sacas. Então, é uma alternativa pra quem quer produzir cada vez mais”, argumenta.

As variedades clonais de café foram desenvolvidas e trazidas de Rondônia, exatamente para aumentar a produtividade das lavouras.

Testar os melhores clones para o o solo e as condições climáticas de Acrelândia é o que faz Cesalpino Araújo. O agricultor tem cinco hectares de café clonal, e por conta própria decidiu pesquisar.

Em sua propriedade, cultiva nove variedades de café clonal: “Meu objetivo é descobrir, entre esses nove, o que produz mais, qual é mais resistente às pragas e os que melhor se adaptam aos períodos de chuva ou seca intensa”, explica.

Renda do café representa mais da metade do orçamento do município

José Carlos Reis, Seap, ao lado do agricultor Vanderlei de Lara que iniciou a colheita de seis hectares de café clonal em Acrelândia (Foto: Leônidas Badaró)
José Carlos Reis, da Seap, ao lado de Vanderlei de Lara, que iniciou a colheita de café clonal em Acrelândia (Foto: Leônidas Badaró)

O café é atualmente um dos principais produtos da economia de Acrelândia. Estima-se que a produção de todo o município gire em torno de 42 mil sacas do grão por safra, o que representa uma movimentação superior a R$ 12 milhões. O valor é mais da metade do orçamento de Acrelândia, que gira em torno de  R$ 20 milhões.

Por entender a importância da cultura para a região, o governo do Estado atua na oferta de assistência técnica e equipamentos que permitem melhores condições de produção.

“Aqui a gente junta a vontade de produzir com a vocação desses agricultores para a cultura do café e o nosso apoio, para que a produção cresça ainda mais. Café em Acrelândia representa geração de renda no campo e na cidade”, afirma José Carlos Reis, titular da Seap.