Alerta

Ministério do Meio Ambiente declara Situação de Emergência Ambiental por risco de incêndios florestais no Acre e em outras regiões do país

O Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima (MMA) declarou estado de emergência ambiental e risco de incêndios florestais no Acre e em diversas regiões do país. A portaria foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira, 8, e é assinada pela ministra do Meio Ambiente, Marina Silva.

Em 2023, Acre reduziu em 45% os focos de queimadas. Foto: Alexandre Cruz-Noronha/Sema

Para o estado, especificamente, a determinação é válida entre os meses de abril a novembro de 2024, para o Vale do Acre e Vale do Juruá.

A secretária do Meio Ambiente, Julie Messias, afirmou que a determinação é importante no sentido de alertar a população e também reforçar o trabalho dos órgãos que atuam na agenda ambiental.

“O Acre, em 2023, reduziu em 45% os focos de queimadas. Realizamos reuniões periódicas na Sala de Situação com órgãos do Comando e Controle Ambiental e esse ano já estamos nos articulando para continuar com essa atuação conjunta. Ano passado atuamos fortemente com ações de educação ambiental e fiscalizações, e vamos reforçar essas ações este ano. A Sema, sob o comando do governador Gladson Cameli, conseguiu chegar ao seu objetivo principal que era a redução não apenas das queimadas, mas também do desmatamento, em 74%”, complementou.

Redução de 45% nos focos de queimadas em 2023

No ano passado, a união de esforços entre os diversos órgãos de meio ambiente, mudança de estratégia e rápida tomada de decisões trouxe protagonismo e resultados positivos ao Acre.

O estado reduziu em 45% o número de focos de queimadas em comparação com o ano de 2022.

O levantamento realizado pelo Centro Integrado de Geoprocessamento Ambiental (Cigma), baseado no Programa Queimadas (BDQueimadas), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), apontou que o número de focos de calor no estado de 1º de janeiro até 31 de dezembro de 2023 foi de 6.562, sendo que no mesmo período em 2022 haviam sido mapeados 11.840 focos.