Mawaca apresenta o show “Cantos da Floresta” no Teatrão

Grupo paulistano mostrará  repertório de canções indígenas com a participação dos kaxinawá 

mawaca.jpg
mawaca_2.jpg

O grupo paulistano Mawaca e a cantora Marlui Miranda abrem temporada pela Amazônia com seis apresentações e oficinas musicais. Uma das cidades escolhidas é Rio Branco com o show Cantos da Floresta (Foto: Divulgação)

O grupo paulistano Mawaca e a cantora Marlui Miranda abrem temporada pela Amazônia com seis apresentações e oficinas musicais. Uma das cidades escolhidas é Rio Branco com o show Cantos da Floresta Mawaca e Kaxinawa (Huni Kui), nesta quarta-feira, 24, 20h30, no Teatro Plácido de Castro. O grupo apresentará o repertório do CD Rupestres Sonoros com canções de diferentes povos indígenas em parceria com os próprios indígenas em cada cidade que aportar. Porto Velho, Cacoal e Ji-Paraná em Rondônia e Manaus e Manacapuru fazerm parte dessa temporada.

Patrocinado pela Petrobras, através do Programa Petrobras Cultural, a turnê do Mawaca representa a concretização de um desejo do grupo em mergulhar na cultura de alguns dos povos  indígenas cujas canções estão no CD Rupestres Sonoros,  produzido em 2009. O nome do CD, segundo o grupo, foi dado em razão das imagens dos rupestres brasileiros, mostrarem cenas que bem poderiam ser momentos dos indígenas nos tempos anteriores à chegada dos europeus, quando celebravam seus rituais. 

A cantora Marlui Miranda, participa do projeto por ser pioneira em desvendar e apresentar ao grande público nacional e internacional a música indígena brasileira. Marlui que está no CD Rupestres Sonoros sempre incentivou o grupo nas suas pesquisas. A oficina de Rio Branco contará com a presença do grupo indígena kaxinawá. Todo o trabalho  reunido em apresentações e oficinas será registrado e ganhará um formato de documentário a ser disponibilizado gratuitamente na internet. O projeto conta com o apoio do governo do Estado, através da Fundação de Cultura e Comunicação Elias Mansour. 

Oficinas musicais

As oficinas serão realizadas em espaços comunitários indígenas com o intuito de possibilitar uma troca cultural entre eles e  os  músicos do grupo Mawaca  que  vêm  desenvolvendo  um repertório indígena há cinco anos sob a coordenação de Magda Pucci, antropóloga e musicista. Em Rio Branco, a oficina acontecerá no centro de formação da Comissão Pró-Índio com a participação dos kaxinawá. A ideia é desenvolver um intercâmbio musical para que seja apresentado nos palcos amazônicos.  

Mawaca – É um grupo que pesquisa e recria a música das mais diversificadas partes do globo. É formado  por  um  vocal de sete cantoras que  interpreta  canções em mais de  quinze línguas. Acompanham o grupo os instrumentistas: Gabriel Levy (acordeom),  Ana  Eliza  Colomar  (violoncello  e  flauta),  Ramiro Marques  (sax  e soprano),  Paulo  Bira  (contrabaixo),  além  percussão  como  as  tablas  indianas,  derbak  árabe, djembés africanos, berimbau, vibrafone, pandeirões do Maranhão a cargo de Valéria Zeidan e Armando Tibério.  

O repertório traz músicas de tradições díspares como a japonesa e a irlandesa; de regiões tão diferentes como Oriente Médio e Península Ibérica. São temas ancestrais que possibilitam a pesquisa de sonoridades múltiplas revelando as características étnicas locais buscando sempre estabelecer interrelações com a música brasileira. 

Com arranjos criativos, o Mawaca apresenta uma musica vibrante, pérolas do repertório mundial que foram transmitidas de geração em geração pela tradição oral. As transcrições e arranjos desses temas ancestrais são realizados por Magda Pucci que, além de desenvolver a pesquisa de repertório, é também responsável pela direção musical do grupo.

Com mais de quinze anos, o Mawaca produziu seis álbuns, dois DVDs e um livro. O grupo exemplifica com sua música questões que passam pelo pluralismo cultural. Assim, vem buscando abrir olhos e ouvidos do seu público sobre questões ligadas a tolerância religiosa assim como às diferenças raciais, e fazer compreender as diferenças étnicas entre os povos, seja ele, o homem indígena do norte do Brasil ou o muçulmano árabe ou o refugiado africano assim como as questões femininas sempre presentes no universo sonoro do grupo. 

Serviço

23/08 – terça feira – Rio Branco

Oficina com Kaxinawá (Huni Kuin)

Local: Espaço Pró- Índio do Acre

Rodovia AC 90 KM – Bairro Sobral

(68) 3225-1952 – (68) 9975-1138

Horário: 10 às 16 horas

 

24/08 – quarta-feira

Show Mawaca e Kaxinawá  (Huni-Kuin)

Local: Teatro Plácido de Castro – Av. Getúlio Vargas, 2703 – Bosque – (68) 3224.6890

Horário: 20h30 – entrada franca