Laboratório do Acre fará parte de rede internacional de pesquisa

Atualmente 16 países fazem parte da Gabriel Network, compartilhando resultados de pesquisas e experiências (Imagem: cedida)
Atualmente 16 países fazem parte da Gabriel Network, compartilhando resultados de pesquisas e experiências (Imagem: cedida)

O Centro de Infectologia Charles Mérieux, primeiro laboratório de biologia molecular do Acre, foi inaugurado pelo governador Tião Viana e o presidente da Fundação Mérieux, Alain Mérieux, na noite da última terça-feira, 19.

Além de um evento histórico para a saúde pública do Acre, Mérieux fez outro importante anúncio: o laboratório acreano fará parte da Gabriel Laboratory Network.

O nome Gabriel vem de “Global Approach to Biological Research, Infectious Diseases and Epidemics in Low-income Countries”, que numa tradução livre seria “Abordagem global de pesquisas biológicas, doenças infecciosas e epidemias em países de baixa renda”. A rede existe desde 2008 e integra o trabalho de laboratórios em 16 países.

O objetivo da rede é transferir experiência e conhecimentos necessários para a investigação laboratrial avançada em países emergentes, particularmente com respeito à identificação de agentes patogênicos, além de estar voltada a treinar pesquisadores e técnicos.

No Brasil, apenas mais dois laboratórios fazem parte da rede, além do recém-inaugurado acreano, sendo um deles o Instituto Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Com a rede Gabriel é possível ajudar a aperfeiçoar e orientar políticas públicas de saúde usando dados epidemiológicos confiáveis e precisos. Hoje, ela destina-se a iniciar projetos multidisciplinares na área de infecções respiratórias e, mais amplamente, doenças específicas dos países em desenvolvimento.

“É uma rede que está presente em diversos países em desenvolvimento que irão compartilhar seus resultados, realizar comparações e, com isso, chegar a resultados mais precisos. Trata-se de um trabalho de ponta e do qual nós faremos parte”, descreveu o médico infectologista Thor Dantas, que atuará no laboratório acreano.

Leia também: Governo e Fundação Mérieux inauguram primeiro laboratório de biologia molecular do Acre