‘Juntos por Elas’ discute violência contra a mulher no Teatrão

Audiência pública reúne sociedade para discutir enfrentamento às várias formas de violência contra a mulher

Para discutir sobre violência doméstica e familiar, racismo institucional, feminicídio e a integração da Polícia Militar e a Rede de Proteção de Violência Doméstica: Estratégias e Soluções, o Governo do Estado do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Assistência Social, dos Direitos Humanos e de Políticas para as Mulheres (SEASDHM), realizou nesta última segunda-feira, 15, uma audiência pública no Teatro Plácido de Castro, que reuniu autoridades e sociedade civil.

Secretária de Estado, Claire Cameli, agradeceu a presença de todas as autoridades e do público que prestigiou o evento Foto: Marcos Vicentti/Secom

A secretária de Estado da SEASDHM, Claire Cameli, agradeceu a presença de todos e disse que o evento não poderia ser realizado sem a ajuda de todas as instituições envolvidas. Ela apontou alguns avanços em relação às formas de combate à violência contra a mulher, citando como exemplo a Lei Maria da Penha, as delegacias de Mulher e a implantação do Botão da Vida, junto com a Ronda Maria da Penha.

“Ainda assim, a sociedade ainda convive com o machismo. Apesar de muitas serem as batalhas vencidas, a cada dia as lutas se agigantam e precisamos reforçar a combatividade no enfrentamento à violência contra a mulher e isso todos juntos”, ressaltou a secretária .

O deputado estadual, Cadmiel Bonfim, propositor deste evento, destacou que esse projeto nasceu da necessidade de debater e buscar estratégias para o fim da violência contra a mulher e o número exorbitante de casos em nosso estado. “Vivemos numa sociedade de cultura machista e nossa luta é antes de tudo cultural. Precisamos construir um mundo com mais equidade e igualdade”, afirmou.

A atividade é fruto de uma parceria com a Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), Ministério Público do Acre (MPAC), Tribunal de Justiça do Acre (TJ/AC), Ordem dos Advogados do Brasil- seccional Acre (OAB/AC) e com a Comissão da Mulher Advogada.

A programação Juntos por Elas teve a presença da major Denice Santiago de Salvador-BA; sargento PM Djair Moura; o presidente da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), Kennedy Nunes de Santa Catarina-RS; do deputado estadual do PSDB, Cadmiel Bonfim; da desembargadora Eva Evangelista; do procurador-geral Sammy Barbosa; vereadora Lene Petecão; secretária Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, Nubia Mussi; presidente em exercício da OAB/AC, Marina Belandi, e comandante-geral da PM, Ezequiel Bino.

Das palestras no ‘Junto por Elas’

A diretora de Políticas Públicas para as Mulheres, Isnailda Godim, apresentou o aplicativo Botão da Vida, uma ferramenta desenvolvida pela Secretaria de Estado de Indústria, Ciência e Tecnologia (Seict) em parceria  com a SEASDHM e que poderá ser adotada por outros estados brasileiros.

Após a apresentação, Isnailda relatou entender o sofrimento de muitas mulheres, por ter sido vítima de violência e conhecer todos os procedimentos da justiça. “Somos o único Estado brasileiro que tem um aplicativo aliado à patrulha Ronda Maria da Penha. O secretário Anderson Abreu e sua equipe desenvolveram esse aplicativo compreendendo que 336 mil mulheres brasileiras, em medida protetiva, precisam para terem o mínimo de segurança”, salientou a diretora.

Quatro mulheres com marcas de violência realista, mostraram o trabalho realizado pela maquiadora Anie Isis. O drama de Lidiane Cabral emocionou os participantes da audiência. Diversas vezes ela interrompeu a fala por se emocionar ao relembrar da violência vivida.

O presidente da Unale, Kennedy Nunes, palestrou sobre a Violência contra as Mulheres no Brasil. “O país está preocupado com este tema, mas é necessário haver ações e políticas públicas para desenvolver um trabalho único. O meu trabalho é esse copilar todas essas ações desenvolvidas nos estados brasileiros e criar uma única estrutura para salvar vidas, cada estado fazendo sua parte”.

A major Denice Santiago, coordenadora da Patrulha Ronda Maria da Penha em Salvador, palestrou sobre Racismo Institucional e Rede de Proteção de Violência Doméstica: Estratégias e Soluções. “Estamos aqui aprendendo com o Acre, como o Botão funciona, para incorporar nas nossas ações na Bahia. A Patrulha é um meio de prevenção, mas o Botão da Vida seria complementar”, explicou a Major.