21 de outubro

Investimentos na Educação permitem que o Acre celebre o Dia da Alimentação na Escola

O Dia Nacional da Alimentação na Escola é comemorado em 21 de outubro. A data tem como objetivo chamar atenção para a importância de uma alimentação saudável no desempenho escolar dos estudantes de todas as etapas da educação básica.

Dia de galinhada na Escola Heloísa Mourão Marques. Um dos pratos preferidos dos alunos. Foto: Clícia Araújo/SEE

Uma alimentação saudável, com horários regulares, ajuda o estudante a ter melhor desempenho dentro e fora da sala de aula. É com essa visão que o governo do Estado desenvolve ações para garantir que mais de 155 mil estudantes da rede pública estadual, tenham boas refeições e condições físicas e mentais para aproveitar ao máximo o aprendizado.

Além de reforçar a alimentação escolar, desde 2020 o governo introduziu o prato extra à merenda escolar, que em muitos casos, de situação de vulnerabilidade social, é a principal refeição diária.

As escolas estaduais estão todas com seus depósitos e freezers bem abastecidos para a distribuição da merenda escolar diária, reforçada e diversificada.

As merendeiras foram capacitadas e estimuladas a fazer melhor uso dos alimentos, preparando pratos mais nutritivos e armazenando adequadamente os insumos.

Além de reforçar a alimentação escolar, desde 2020 o governo introduziu o prato extra à merenda escolar. Foto: Clícia Araújo/SEE

“Os alimentos têm chegado em grande quantidade na escola e isso tem feito com que a gente consiga servir o prato extra todos os dias. Servimos também o lanche da entrada e o superlanche. Para alguns alunos, é a refeição do dia”, afirmou o gestor da Escola Heloísa Mourão Marques, em Rio Branco, Vitor Farias.

O Departamento de Alimentação e Nutrição Escolar da Secretaria de Estado de Educação (SEE) elabora os cardápios, repassa para as escolas e as merendeiras fazem os ajustes necessários para atender da melhor forma os alunos.

Escolas grandes, que ofertam o ensino médio, têm uma vasta clientela. A Heloísa Mourão Marques, por exemplo, atende cerca de mil alunos, com cardápio diversificado. O lanche do dia desta quinta-feira, 20, foi uma galinhada com salada, um dos pratos preferidos dos estudantes.

Estudante do 1º ano do ensino médio, Geysla Yasmin Andrade destaca um ponto importante em relação à alimentação e ao tempo que passa na escola: “Como a carga horária aumentou, a gente precisava desse reforço na merenda e agora consegue ficar bem alimentado até chegar em casa”.

Em 21 de outubro é comemorado o Dia Nacional da Alimentação na Escola. Foto: Clícia Araújo/SEE

Para garantir um bom armazenamento e conservação dos alimentos, o governo reformou e reestruturou o armazém da merenda escolar de Rio Branco, como também os armazéns das regionais.

E, para o transporte seguro dos alimentos perecíveis, o governo adquiriu dez caminhões frigoríficos, com recursos próprios, tanto para a capital quanto para o interior, com acesso terrestre em todas as regionais.

Alimentação de alunos no recesso escolar

Para garantir a refeição diária dos alunos da rede pública de ensino do Acre, a atual gestão determinou que as escolas mantivessem o almoço para os estudantes, mesmo durante o período de recesso escolar.

“A experiência de servir o almoço no período do recesso escolar foi maravilhosa. Vimos que para alguns alunos era fundamental, pois vieram à escola almoçar todos os dias”, destacou Vitor Farias.

Preparação da merenda escolar na Escola Edmundo Pinto em Porto Acre. Foto: Mardilson Gomes/SEE

Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae)

O Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) é gerenciado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e funciona por meio do repasse de recursos às prefeituras e aos estados para reforçar as refeições nas escolas públicas.

A lei 11.947/2009 determina que no mínimo 30% do valor repassado a estados, municípios e Distrito Federal pelo FNDE para o Pnae devem ser utilizados obrigatoriamente na compra de gêneros alimentícios provenientes da agricultura familiar.

Agricultura familiar e alimentação escolar

A agricultura familiar é responsável por boa parte da produção de alimentos do estado, como macaxeira, feijão, milho, arroz, hortaliças, frutas, leite, suínos, aves e bovinos, entre outros, e é fundamental para a promoção da segurança alimentar e nutricional.

O encontro da alimentação escolar com a agricultura familiar tem promovido uma transformação importante na alimentação escolar, permitindo que alimentos saudáveis e com vínculo regional possam ser consumidos diariamente pelos alunos da rede pública estadual.