dados do IBGE

Informatização de serviços impacta em índices positivos no setor comercial no Acre

Nos últimos meses o Acre tem registrado índices positivos com relação ao setor comercial. Após, em novembro, ter ficado acima da média nacional no índice que mede o varejo ampliado nas unidades da federação, em dezembro o Acre, na contramão do país, fechou com variação de 1,1%.

Acre foi um dos estados que registrou variação positiva no índice que mede as vendas de varejo no país. Foto: Marcos Vicentti/Secom

Os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados na quarta-feira, 7, mostram recuo em 13 das 27 Unidades da Federação no varejo.

Essa movimentação econômica em alta está ligada diretamente à abertura de empresas, fator que o governo do Estado, por meio da Junta Comercial (Juceac), tem simplificado e informatizado na grande parte dos municípios acreanos. A simplificação do processo de abertura de empresas e um sistema unificado foram passos importantes para essa injeção na economia do estado.

“Nos últimos três anos, observamos um avanço significativo no ambiente de negócios no Acre. A simplificação dos processos de abertura e registro de empresas, junto com uma maior agilidade e transparência nos trâmites burocráticos são um dos principais pilares responsáveis pelo incentivo e crescimento de negócios”, destaca a presidente da Juceac, Nayara Honorato.

Ela reforça ainda que atualmente a Junta Comercial oferece um portfólio de serviços totalmente digitais. No entanto, ainda há desafios, especialmente ao abordar a principal implementação, que é a transformação digital.

“Estamos empenhados em aprimorar nossos indicadores no Mapa de Empresas, do governo federal, implementando a viabilidade automática de endereço, que já está operacional em 15 municípios. Essa iniciativa, juntamente com outros ajustes internos, nos permitiu avançar do 18º para o 6º lugar no final de 2023 nesse mapa”, destaca.

Para a presidente o avanço depende também da tecnologia e dessa facilitação nos processos burocráticos na abertura de uma empresa. Foto: Marcos Vicentti/Secom

“Olhando para o futuro, seguiremos em constante busca por evoluções, visando aprimorar cada vez mais o atendimento, implementando novas tecnologias, expandindo os serviços. O fortalecimento das parcerias público-privadas estão em andamento, visando criar um ambiente ainda mais propício ao empreendedorismo e ao crescimento econômico sustentável”, finaliza.

Na capital, uma das medidas recentes para o acesso de empreendedores e empresários aos serviços de uma maneira facilidade foi a implantação da sala do empreendedor, que fica no prédio da Secretaria Municipal de Infraestrutura, no centro da capital. A unidade reúne todos os atores envolvidos na abertura de uma empresa e a Juceac é um deles. Então, desde janeiro, o empreendedor consegue ter acesso a todos esses serviços em um só lugar.