IDM certifica indígenas na área de apicultor na aldeia Nukini

Indígenas Nukini recebendo a certificação de apicultor realizada em sua localidade (Foto: Tamara Smoly)
Indígenas Nukini recebem certificação de apicultor realizada em sua localidade (Foto: Tamara Smoly)

No último final de semana, a diretora-presidente do Instituto Dom Moacyr (IDM), Rita Paro, esteve na comunidade República certificando indígenas pela formação no curso de Apicultor, realizado pelo governo do Acre, por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

A aldeia é de difícil acesso, localizada após Mâncio Lima.  Para chegar à comunidade, foi necessária a navegação pelos rios Japiim e Môa por 12 horas (ida/volta), em uma voadeira (pequeno barco motorizado).

A aldeia, repleta de crianças, tem escola de ensino fundamental e médio. A formação de apicultor foi solicitada pelos próprios moradores que coletavam mel sem conhecimentos técnicos e, conforme mencionaram, muito se perdia por não saber como lidar com as abelhas.

A parceria com a Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof) possibilitou a entrega de equipamentos para a produção do mel aos que finalizaram o curso.

Paulo Nukini, vice-cacique da aldeia, disse que ficou muito feliz com o que aprendeu. “Quero negociar fora da nossa aldeia e ter sempre abelha para ter mel, que é usado na nossa medicina. Isso faz parte da nossa cultura”, disse.

A diretora-presidente do IDM, Rita Paro, declarou: “Ao prestigiarmos uma certificação dessas, vemos o trabalho do governo do Estado chegando a todos os cantos do Acre. Há profissionalização em várias aldeias, todos estão ganhando a oportunidade de ter uma melhoria de vida, cujos resultados são cada vez mais gratificantes”.