Humanização do Estado participa da campanha de doação de órgãos

Serão realizadas palestras nas secretarias de Estado para esclarecer sobre o assunto (Foto: Júnior Aguiar/Sesacre)
Serão realizadas palestras nas secretarias de Estado para esclarecer o assunto (Foto: Júnior Aguiar/Sesacre)

Para intensificar a divulgação sobre a importância da doação de órgãos e tecidos no Acre, o governo do Estado lançou na manhã desta terça-feira, 26, uma campanha de conscientização direcionada aos servidores públicos, por meio da Rede Estadual de Humanização.

A ação foi na Filmoteca Acreana, no centro da capital, e foi realizada pela Central de Transplantes do Hospital das Clínicas (HC) de Rio Branco, em parceria com Secretaria de Estado de Gestão Administrativa (SGA).

Na ocasião, representantes das coordenações de humanização das secretarias estaduais participaram de uma palestra para conhecer o processo para doação de órgãos.

O objetivo é esclarecer os mitos e preconceitos que ainda existem em torno da doação de órgãos, aumentando, por consequência, o número de doações.

A coordenadora da Central de Transplantes, Regiane Ferrari, explicou que o Acre lidera um dos índices de recusa familiar mais alto do país, sete em cada 10 famílias se recusam a doar os órgãos de seus entes falecidos, segundo informações da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (Abto).

“É importante que as pessoas informem a seus familiares sobre a decisão de ser um doador de órgãos. Hoje, não precisa deixar nenhum documento dizendo que é doador, basta apenas manifestar em vida a vontade, informando a família. Essa decisão pode ampliar ainda mais a realização de cirurgias que salvam vidas e diminuir a permanência do paciente que aguarda por uma doação”, ressaltou Regiane.

De acordo com a secretária adjunta de Pessoas e Humanização, Elineide Meirelles, a ideia é discutir o tema com os servidores e sensibilizá-los sobre a importância de ser um doador de órgãos.

“Vamos trabalhar junto aos servidores, levando informações sobre o assunto e incentivando a doação, por meio de palestras que serão realizadas nas secretarias estaduais. Assim, eles serão multiplicadores da informação e teremos mais pessoas sensibilizadas sobre o tema”, disse Elineide.