Polícia Civil

Governo intensifica ações de combate à atuação das organizações criminosas

As investidas das forças de segurança do Estado contra o crime organizado têm se intensificado nos últimos seis meses por determinação do Governo do Acre. O Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp), composto pelas polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros, Instituto de Administração Penitenciária (Iapen) e Instituto Socioeducativo (ISE), tem trabalhado no monitoramento e em ações preventivas e ostensivas cada vez mais eficazes, refletindo diretamente na redução dos índices de violência.

O exemplo dessas ações foi a Operação Hemólise, deflagrada nas primeiras horas da manhã de quarta-feira, 24, na capital, Rio Branco e em mais quatro cidades acreanas (Sena Madureira, Porto Walter, Plácido de Castro e Porto Acre).

Operação foi realizada em 18 bairros da capital e contou com a participação de mais de 200 agentes Foto: Gleydison Meireles

A operação, que contou com a participação de mais de 200 agentes de segurança pública (Polícia Civil, Polícia Militar e Iapen) e alcançou 18 bairros na capital, deu cumprimento a mais de 100 mandados judiciais, sendo 69 de prisão e 32 de busca e apreensão. Os alvos da operação eram pessoas ligadas a uma organização criminosa que atuava nas localidades como “frente de bairro”, denominação dada a criminosos que comandam células das organizações dentro dos bairros e que atuam nas bocas de fumo.

Foram presas ainda pessoas que integravam o conselho rotativo do grupo, ou seja, aqueles que assumiam o posto de conselheiro na ausência de seus integrantes efetivos por motivos diversos, como prisões, mortes ou transferências. Integrantes que atuavam como porta-voz da organização também foram alvos da ofensiva policial.

O Secretário de Segurança Pública, Cel. Paulo Cézar Santos, destacou a ação das forças policiais e o trabalho integrado do Sisp tendo como resultado a redução nos índices de criminalidade em todo o estado do Acre.

“Os impactos que essa operação traz são muito importantes, ela foi realizada em relação a uma das organizações criminosas que atua em nosso território e busca efetivamente atingir o que é mais importante que é a logística do crime, é o capital do crime. Tirar de circulação não simplesmente aqueles que estão na ponta de linha, que estão na execução, mas buscar alcançar aqueles que estão dentro da hierarquia dessas organizações, coordenando as diversas ações delituosas que impactam a sociedade, e esse foi o objetivo dessa operação”, enfatizou o secretário

Ações integradas de segurança pública tem impactado diretamente na redução da criminalidade no estado do Acre Foto: Ascom MPE/AC

Seis meses de investigaçãoAs investigações começaram a partir de trechos de manuscritos encontrados durantes revistas realizadas no interior das celas do Presídio Estadual Francisco D’Oliveira Conde (FOC), por agentes penitenciários. A partir dos “bilhetes” encontrados, o Departamento de Inteligência da Polícia Civil e da Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) começou a trabalhar na identificação dos integrantes confirmando a existência dos “frentes de bairros” das células do CV nas comunidades, em Rio Branco.

Os criminosos teriam, ainda, assumido funções de comando dentro da organização quando líderes e conselheiros foram presos e até mortos.

“A deflagração da operação também tem por finalidade investigar o envolvimento dessas pessoas em outros tipos de crimes, como a ordem para os homicídios ocorridos no estado. A Polícia Civil está atenta e pronta para agir”, garantiu o Diretor Geral da Polícia Civil, José Henrique Maciel Ferreira.