Governo inaugura Biblioteca Pública de Cruzeiro do Sul

O governo do Estado inaugura nesta quinta-feira, 20, a Biblioteca Pública de Cruzeiro do Sul. O governador Tião Viana, o vice-governador César Messias e a presidente da Fundação Elias Mansour, Karla Martins, fazem a entrega do espaço à comunidade do Vale do Juruá em solenidade a partir das 17 horas.

O prédio tem cerca de 1.300 metros divididos em quatro pavimentos e o anexo restaurado( Foto: Acervo FEM)
O prédio tem cerca de 1.300 metros divididos em quatro pavimentos e o anexo restaurado( Foto: Acervo FEM)

A Biblioteca Pública faz parte da política do livro e leitura do governo do Estado. Será um espaço de referência na região do Juruá, por meio do estímulo às práticas leitoras. O prédio, em “pele de vidro” (espelhado), tem cerca de 1.300 metros, divididos em quatro pavimentos, e o anexo, restaurado, é o lugar onde funcionava um antigo comércio da cidade.

Projetada a partir do conceito de privilegiar a acessibilidade a todos os ambientes, possui elevador e duas plataformas para atendimento às pessoas com mobilidade reduzida.  A obra custou quase R$ 5 milhões, financiados pelo Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird)  por meio do Programa de Inclusão Social e Desenvolvimento Econômico Sustentável do Acre (Proacre), do governo do Estado.

Comunidade Digital – O acervo inicial é de 23 mil exemplares, entre livros, CDs, DVDs e HQs, além do “Comunidade Digital”, com 20 computadores e acesso gratuito à internet, equipamentos modernos e mobiliário todo confeccionado no Estado. Os investimentos são de quase R$ 8 milhões, financiados pelo Proacre/Bird e Proinvest/BNDES.

Para o governador Tião Viana, a biblioteca será uma herança para as futuras gerações, como bem cultural e tecnológico, que garante o acesso de todos ao conhecimento. “Os livros oferecerão à população uma fonte inesgotável de conhecimentos, e os computadores, o incentivo à pesquisa e inclusão digital aos mais jovens. As pessoas vivenciarão o seu tempo de lazer, estimulando o raciocínio e o aprendizado”, disse.

“A comunidade poderá interagir com ações de audiovisual à cultura digital, práticas literárias, música, teatro, dança e formação de novos leitores. A biblioteca será um ambiente jovem e multimídia e da troca de saberes”, disse Karla Martins.