desenvolvimento

Governo entrega duas agroindústrias no Complexo de Florestas do Rio Gregório, em Tarauacá

O governador Gladson Cameli sempre defendeu o agronegócio sustentável como principal fonte de crescimento do estado, fomentando o aumento de renda das famílias rurais. Ele esteve ontem, 22, na sede da Cooperativa de Produtores Familiares e Economia Solidária da Floresta do Mogno (Coopermogno), em Tarauacá, para entregar duas agroindústrias que beneficiarão aproximadamente 200 famílias.

Governador esteve ontem, 22, na sede da Cooperativa de Produtores Familiares e Economia Solidária da Floresta do Mogno (Coopermogno), para entregar duas agroindústrias que beneficiarão aproximadamente 200 famílias Foto: Odair Leal/Secom.

O investimento, de cerca de R$ 1 milhão para implantação de sete agroindústrias, é do governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado Meio Ambiente (Sema), que conta com a parceria do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), por meio do Programa de Desenvolvimento Sustentável do Estado do Acre (PDSA II).

Na Coopermogno, Cameli entregou equipamentos para verticalização da produção agroflorestal. Será uma agroindústria frutífera na Coopermogno e uma para produção de cereais na Associação Mamoré-Maracanã. As várias comunidades do entorno do Complexo de Florestas do Rio Gregório poderão realizar o processo de beneficiamento e comercializar os produtos sem necessidade de atravessador.

Na Coopermogno, Cameli entregou equipamentos para verticalização da produção agroflorestal Foto: Odair Leal/Secom.

A subprefeita da Vila Liberdade Maria Renilda da Costa, a Branca, avaliou os benefícios recebidos: “Nosso governador está de parabéns pela dedicação, carinho e reconhecimento às comunidades tradicionais. Esse investimento será muito importante para melhorar a qualidade de vida das famílias rurais, que poderão produzir e vender mais”.

Antônio Leite, presidente da Associação Agrícola Mamoré-Maracanã, disse que há anos as comunidades rurais aguardavam os incentivos do poder público no processamento de frutos e da farinha no Juruá. “Estamos muito felizes com todo esse apoio que o governador vem nos dando. Era um sonho podermos beneficiar o açaí, o buriti, e empacotar a farinha, para valorizar ainda mais nossos produtos”.

Gladson Cameli afirmou que, “com união e esforço de toda a equipe, é possível respeitar as leis ambientais e fortalecer as políticas do agronegócio e da agricultura familiar, gerando mais emprego e renda em nosso estado. E mais: “O governo se compromete a comprar tudo o que for produzido aqui por vocês. Gostaria ainda de dizer que temos feito tudo o que é possível para atrair investidores e fazer com que a nossa economia cresça ainda mais”.

As ações da Sema apoiam a diversificação produtiva nas comunidades. “A partir do momento em que as pessoas encontram uma fonte de renda viável, com apoio do governo, passam a proteger a floresta e valorizar as pessoas. Oferecer essas possibilidades de potencializar a produção é um incentivo para a redução de áreas de desmatamento”, disse o secretário de Estado de Meio Ambiente, Israel Milani.

O secretário de Estado de Indústria, Ciência e Tecnologia, Anderson Lima, participou da agenda e destacou o trabalho em conjunto dos órgãos ambientais. “A Sema e o Imac estão de parabéns pelas conquistas para melhorar a vida de quem mora perto das florestas. Profissionalizar e dinamizar a produção nas cooperativas é um avanço para setor industrial”, avaliou.