Governo do Estado e produtores rurais do Caquetá inauguram agroindústria de derivados de mandioca

O que antes era apenas um sonho agora é realidade para cerca de 250 famílias da região do Caquetá, zona rural de Porto Acre. Graças aos esforços do governo do Estado, por meio do Programa de Saneamento Ambiental do Acre (Proser), os produtores ganharam uma moderna agroindústria de derivados de mandioca. A inauguração oficial se deu nesta quinta-feira, 30, e contou com a presença do governador Gladson Cameli.

O governo do Estado inaugurou a agroindústria de derivados de mandioca, localizada na comunidade do Caquetá, zona rural de Porto Acre, num investimento de R$ 700 mil. Foto: Marcos Vicentti/Secom

A Secretaria de Estado de Indústria, Ciência e Tecnologia (Seict) foi a responsável pela execução do projeto, que compreende a construção do espaço e aquisição dos equipamentos. Com investimentos de R$ 700 mil, a agroindústria, localizada no Ramal Linha 10, no km 82 da BR-317, tem capacidade para processar 38 toneladas de mandioca por mês.

Incentivar a produção agrícola tem sido uma marca positiva da atual administração estadual. O governo não vem medindo esforços para que a população do campo trabalhe com dignidade. Em sua fala, o gestor lembrou os compromissos firmados para alavancar a zona rural. Gladson Cameli tem a convicção que uma das maiores riquezas do Acre está em sua terra fértil, de gente trabalhadora.

Gestão do governador Gladson Cameli tem reconhecido a população da zona rural com inúmeros investimentos. No caso da agroindústria do Caquetá, o gestor não tem dúvidas do sucesso do empreendimento. Foto: Marcos Vicentti/Secom

“O que mais os nossos produtores rurais querem é ter as condições para que possam plantar, colher e levar seus produtos para a cidade. Esse povo guerreiro, que trabalha debaixo desse sol todos os dias, tem o meu respeito por causa dessa determinação. Cabe a nós, como governo, fazer todo o possível para ajudá-los. Essa agroindústria será um sucesso, tenho certeza disso”, afirmou Gladson.

Para o titular da Seict, Anderson Abreu, além de valorizar a produção local e facilitar o processamento da raiz em larga escala, o empreendimento tem grande potencial para transformar a realidade financeira da comunidade rural e seu entorno.

“Essa agroindústria vem para agregar valor aos produtos processados aqui, bem como ampliar a própria capacidade de produção. A mandioca é muito consumida em nossa região e, por conta disso, sempre terá mercado garantido. Outro fator importante são as oportunidades de emprego e renda, que serão geradas aqui na região a partir de agora”, expôs.

Para o secretário de Indústria, Ciência e Tecnologia, Anderson Abreu, o empreendimento tem grande potencial de transformar a realidade financeira dos produtores rurais do Caquetá. Foto: Marcos Vicentti/Secom

A cerimônia contou ainda com a participação do prefeito de Porto Acre, Bené Damasceno; do deputado federal Flaviano Melo; do deputado estadual Antônio Pedro; da vereadora Ida do Caquetá, de Porto Acre; do secretário adjunto de Produção e Agronegócio, Raimundo Lima; do presidente da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-AC), Rinaldo Santos; e dos moradores da comunidade.

Agroindústria contribuirá com geração de emprego e renda

Dorneles Silvestre era um dos mais empolgados durante o evento. Desempregado havia dois anos e sem expectativa de conseguir uma vaga no mercado de trabalho até então, o técnico em agroindústria atuará como responsável técnico pela produção da indústria.

Dorneles Silvestre estava desempregado havia dois anos. Na agroindústria, ele será o responsável técnico por toda a produção do local. Foto: Marcos Vicentti/Secom

“A minha expectativa é muito grande para ver essa agroindústria funcionando a todo vapor. Esse era um desejo da nossa comunidade e estamos bem animados para iniciar a produção. Da minha parte, está sendo muito gratificante ter recebido a proposta para trabalhar aqui e darei o melhor de mim, juntamente com os outros trabalhadores, que também ganharam a mesma oportunidade”, conta.

Cerca de 20 empregos diretos serão gerados para suprir a demanda da agroindústria. Serão eles os encarregados de produzir, de maneira automatizada, a tradicional farinha de mandioca, farinha de tapioca, goma e tucupi. Para que não falte matéria-prima em nenhum período do ano, cerca de cem agricultores da região vão destinar três hectares de terra de suas propriedades para o plantio exclusivo de macaxeira.

Com produção de farinha de mandioca, farinha de tapioca, goma e tucupi, agroindústria será responsável pela geração de 20 empregos diretos. Foto: Marcos Vicentti/Secom

A presidente da Cooperativa de Produtores e Extrativistas de Agricultura Familiar Sonho Meu, Elizabete dos Santos da Silva, define a inauguração da agroindústria como a chegada de um novo tempo de prosperidade para os moradores de uma das maiores regiões do estado com forte vocação produtiva.

“Após muitos anos de perseverança, conseguimos. Esta era a oportunidade que a nossa comunidade tanto precisava e, graças a Deus, estamos recebendo essa agroindústria. Posso dizer que as famílias daqui estão sendo privilegiadas por estar recebendo esta estrutura, que vai nos ajudar bastante a melhorar nossa renda”, enfatizou.

Elizabete dos Santos Silva é a atual presidente da Cooperativa de Produtores e Extrativistas de Agricultura Familiar Sonho Meu. Foto: Marcos Vicentti/Secom

O que eles disseram

“Porto Acre é o município mais rural do nosso estado. São mais de dois mil quilômetros de ramais espalhados por todo o nosso território. Por onde ando, os agricultores pedem apenas as condições para que possam produzir e tirar o sustento da família. O governo do Estado está de parabéns por esse investimento, que muito beneficiará os produtores do Caquetá e de toda essa região.”

Bené Damasceno, prefeito de Porto Acre

“Tenho uma identificação muito grande com o município de Porto Acre e participo desta solenidade com muita alegria, pois estamos vendo os benefícios chegando aos nossos produtores rurais. Gostaria de reconhecer o esforço do governador Gladson Cameli e sua equipe pela realização deste investimento. Da minha parte, desejo muito sucesso ao funcionamento desta agroindústria.”

Flaviano Melo, deputado federal

“O Acre tem uma grande chance de se desenvolver com a agricultura e o governador Gladson Cameli tem apostado muito nisso e se mostrado um grande parceiro dos produtores rurais. Todos os projetos do Executivo que forem bons para o nosso estado, nós, deputados, apoiamos. O governo está de parabéns por entregar esta agroindústria, que é um verdadeiro presente à comunidade do Caquetá.”

Antônio Pedro, deputado estadual