responsabilidade

Governo discute políticas públicas para crianças e adolescentes 

A Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) realizou durante duas semanas reuniões de apuração das atividades do Orçamento da Criança e do Adolescente (Ocad). Os encontros de planejamento tiveram início na quarta-feira, 19, e se encerraram nesta quinta-feira, 27.

Representantes da SEASDHM apresentando as ações realizadas com foco nas crianças e adolescentes em 2021. Foto: cedida

O Comitê do Orçamento da Criança e do Adolescente é composto pelas secretarias de Estado de Educação, Cultura e Esporte do Acre (SEE), de Saúde (Sesacre), e de Assistência Social, Direitos Humanos e de Políticas para Mulheres (SEASDHM), Instituto Socioeducativo do Acre (ISE), Ministério Público Estadual (MPE), Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) e pelo Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente. Tendo como responsabilidade acompanhar e apurar os recursos direcionados pelo estado para as crianças e adolescentes acreanos.

Foram realizadas quatro reuniões, quando foram apresentadas as ações, atividades e projetos executados para o público-alvo em 2021. Inicialmente, as análises são feitas com destaque nas áreas de educação, saúde, assistência social, e também, com participação dos dados do ISE.

“Estamos alinhados na construção de melhorias para nossas crianças e adolescentes. Nossa participação vai nos permitir a apresentação e conhecimento da aplicabilidade dos recursos destinados à construção de ações mais efetivas e eficazes”, destacou Vaneide Braga, representante do departamento de gestão da SEE.

Após a verificação dessas atividades e dos recursos que cada secretaria destina para os jovens, o próximo passo do comitê será identificar onde há necessidade de se investir em 2022.

“Vamos elaborar um relatório e conseguiremos ter uma noção maior do que de fato precisamos melhorar e investir, se tiver um local que é deficitário então o comitê vai discutir isso também para que a gente possa cada vez priorizar esses jovens”, destacou Regiane Cristina de Oliveira, gestora de Políticas Públicas da Seplag.