retomada

Governo começa trabalho de regularização dos marceneiros do polo de Rio Branco

O governo do Acre, por meio do Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac) e da Secretaria de Estado de Indústria, Ciências e Tecnologia (Seict), está avançando no processo de regularização ambiental e concessão do espaço para todos os moveleiros localizados nos sete polos do estado. E nesta terça-feira, 29, foi a vez de o governo se reunir com os representantes do polo moveleiro de Rio Branco, localizado no Distrito Industrial. 

Reunião com os moveleiros de Rio Branco busca retomar a regularização do setor. Foto: Jean Lopes/Seinfra

Ao todo, cerca de 150 famílias que trabalham com movelaria serão beneficiadas diretamente em todo o Acre, além de um número muito maior indiretamente. Só no polo de Rio Branco, cerca de 20 famílias trabalham na atividade com esperanças de retomar uma maior produção. 

A visita, liderada pelo presidente do Imac, André Hassem, reuniu representantes do polo para tratar da reativação do espaço, melhorando as condições de trabalho das famílias envolvidas, como a reestruturação do acesso e a religação da rede de água. 

Marceneiro do polo, Manoel Machado destacou que ter o governo presente é um momento de esperança Foto: Jean Lopes/Seinfra

“Agora, o compromisso do governo do Estado é regularizar todas essas pessoas, pais de família. Estivemos em todos os polos do estado e agora estamos justamente na capital fazendo reuniões, ouvindo as demandas dessas pessoas e vendo tudo o que é preciso para dar uma resposta do governador Gladson Cameli, cujo principal objetivo é ver as pessoas trabalhando e melhorando de vida”, conta André Hassem.

Marceneiro do polo, Manoel Machado destacou que ter o governo presente é um momento de esperança para o setor, que já teve um grande momento produtivo, enquanto hoje sofre com a baixa produtividade devido à falta de incentivos e à dificuldade nas licenças. 

Melhorias estruturais no polo de Rio Branco também estão nos planos do governo. Foto: Jean Lopes/Seinfra

“Isso é importante para nós, porque esse local está abandonado. É uma área industrial e nem parece, não tem ninguém acompanhando a nossa situação. E a questão ambiental é muito séria, porque nossos licenciamentos são muito antigos, mas já perderam a validade. E por isso eu fico feliz esperando que agora a situação possa ser resolvida pelo governo”, destacou o marceneiro. 

A deputada federal Wanda Milani esteve presente à reunião e destacou: “São pessoas que trabalham há anos com movelaria e não têm suas licenças concretizadas. Sabemos que antigamente tínhamos mais de 400 pessoas trabalhando com móveis, mas muitas perderam suas licenças. Hoje, temos mais de 200 em legalidade novamente e essa é a proposta do governo do Estado, trazer emprego e renda para sua população, seguindo no trabalho de legalizar nossos marceneiros”.