Novo espaço garante acesso à educação a crianças da Baixada da Sobral

escola_jose_augusto_foto_sergio_vale_4.jpg

Durante solenidade na Escola, Governador Binho Marques ao lado de gestores e de deputados estaduais (Foto: Sérgio Vale/Secom)

A escola municipal inaugurada nesta quarta-feira, 06, pelo governador Binho Marques cumpre o objetivo de transformar a realidade vigente na área da baixada da Sobral. A edificação levou melhorias de infra-estrutura ao bairro Boa União – onde está instalada, garantiu o acesso de 520 crianças ao ensino fundamental do primeiro ciclo (1º ao 5º ano) e mudou a paisagem do local ao aliar arquitetura que remete à identidade acreana ao mesmo tempo em que oferece conforto. José Augusto de Araújo, que teve toda a formação na área educacional, dá nome à escola. A homenagem resgata o trabalho pioneiro desenvolvido por ele para garantir educação abrangente e acessível aos acreanos.

As oito salas de aula instaladas no prédio construído com grandes janelas, ampla área avarandada que valoriza a circulação de ar e luz, recebem crianças a partir de 5 anos de idade para atender à demanda da comunidade e dar suporte ao processo educacional ao inserir uma turma da pré-escola. A diretora de ensino da Secretaria Municipal de Educação, Lígia Ribeiro, explica que ao começarem mais cedo eles desenvolvem mais rápido as habilidades e em pouco tempo dão a resposta ao estímulo proposto. Para a Secretária Estadual de Educação, Maria Corrêa, o diálogo entre Estado e município viabiliza as ações em conjunto sem as quais não seria possível alcançar a 5ª posição na avaliação realizada pelo Ministério da Educação que dá a Rio Branco papel de importância sendo município citado como referência no primeiro segmento educacional. "É este regime de colaboração, único no país, a melhor estratégia. É fundamental para que a prefeitura possa cumprir sua obrigação de dar atenção às crianças menores". Em 2009 todos os professores, coordenadores e diretores de escola têm garantida a formação continuada.

escola_jose_augusto_foto_sergio_vale_29.jpg

Nova escola atende as crianças a partir dos 5 anos em salas amplas, arejadas e confortáveis para bons momentos de aprendizado (Foto: Sérgio Vale/Secom)

escola_jose_augusto_foto_sergio_vale_17.jpg

Binho Marques lembrou o tempo de professor e explicou a divisão de ciclos nas escolas (Foto: Sérgio Vale/Secom)

O governador Binho Marques aproveitou para conversar com os pequenos alunos e lembrou o tempo em que atuava como professor interagindo com eles em sala de aula. Ele diz que hoje a escola se especializa com a divisão por ciclos. Criando padrões, o Governo do Estado foca as prioridades para faixas etárias específicas. "Ao construir uma escola de ensino fundamental do primeiro ciclo, do primeiro ao quinto ano, construímos brinquedotecas, bibliotecas. Nas escolas de ensino médio, a prioridade serão os laboratórios de ciências", explica.

Auxiliar de administração da escola e mãe de dois alunos, Raimunda Néri, confessa que está muito feliz com o trabalho e com o ensino oferecido aos filhos. Raimano Néri, o mais velho, fez questão de entregar ao governador Binho Marques, uma carta em que agradece pela nova escola.

O deputado Ney Amorim (PT), que nasceu na região da baixada da Sobral, lembra que o local onde foi instalada a escola era um pântano. "Fico feliz de ver uma área como essa sendo transformada para dar mais espaço para a comunidade".

Família se emociona com homenagem a governador José Augusto de Araújo

{xtypo_quote_right}Fico feliz de ver uma área como essa sendo transformada para dar mais espaço para a comunidade

Ney Amorim, deputado estadual (PT) {/xtypo_quote_right}

Nascido em Cruzeiro do Sul em 1930, José Augusto de Araújo, começou os estudos básico em Belém e os concluiu no Colégio Acreano. Cursou Filosofia e História no Rio de Janeiro e foi durante este período que participou de movimentos estudantis se aproximando da política. Eleito em 1962 por voto popular começou em seguida movimento pela transformação do território do Acre em Estado. Na década de 1970, José Augusto, com apenas 33 anos começou a implantar no Acre metodologia de alfabetização criada pelo educador Paulo Freire, trabalho interrompido pelo ato de cassação de seu mandato imposto pelo golpe militar. "O Acre perdeu um grande governante e a família foi sacrificada porque quando morreu ele nem pode ser enterrado no Estado", conta o governador Binho Marques acrescentando que o uso de seu nome é uma justa homenagem. 

O nome do governador é lembrado em outros prédios públicos, mas nenhum ligado à área de educação.  "Estamos muito felizes porque meu pai era um professor. Ele acreditava que a educação podia transformar a vida das pessoas e investiu na construção da consciência de ribeirinhos e seringueiros, de que poderiam ter uma realidade diferente", conta a filha do homenageado e procuradora geral do Estado, Nazaré de Araújo Lambert.