proposta

Fórum de Educação vai debater calendário escolar de 2021

Representantes do Fórum Estadual de Educação, formado por 24 órgãos e entidades – entre eles a Secretaria de Educação, Cultura e Esportes (SEE), o Conselho Estadual de Educação (CEE), Ministério Público (MPE) e Tribunal de Contas do Estado (TCE) -, além de sindicatos, se reuniram na tarde desta quinta-feira, 17, para escolher a nova diretoria para o próximo biênio e iniciar os debates sobre o calendário escolar de 2021.

O atual presidente do Fórum é o secretário Mauro Sérgio Cruz (SEE), que foi reconduzido ao cargo para os próximos dois anos. Em relação ao calendário, ele diz que se trata de um momento oportuno e acredita na aprovação da proposta que será apresentada aos representantes.

Fórum de Educação conta com a participação de 24 órgãos e entidades Foto: Mardilson Gomes/SEE

Ele explica que o calendário escolar de 2020 será fechado somente em abril do ano que vem e que o ano letivo de 2021, pela proposta, deve iniciar no mês de maio. “Todos sabem que vivemos uma situação atípica, e enquanto a vacina não vem, vamos viver essa situação complexa”, afirmou.

A definição do calendário necessita de uma ampla discussão na medida em que é preciso encontrar uma solução para os alunos que estão em série de transição de uma etapa para outra, como os alunos dos 5º anos, séries iniciais, 9º anos, séries finais, e terceiros anos do ensino médio.

A secretária municipal de Educação de Rio Branco, professora Vômea Araújo, que é coordenadora estadual da União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação, que também tem assento no Fórum, acredita que para esses alunos haverá um ensino híbrido tanto presencial quanto remoto, a fim de que eles possam contemplar toda a carga horária do ensino.

“Em janeiro haverá férias coletivas e, depois, o Fórum vai se reunir com o Comitê de Combate à Covid-19 para deliberar se podemos voltar ou não, mesmo adotando todas as medidas higiênicas necessárias, já que para nós tudo isso ainda é muito novo”, faz questão de dizer.