Fieac divulga resultados da indústria que refletem na economia acreana

Número de postos de trabalho em 2009 chegou a 10 mil e crescimento acumulado atinge 19,97% em relação ao ano passado

 

coletiva_fim_de_ano_10.jpg

Presidente da Fieac, João Salomão, divulga dados sobre indústria acreana (Foto: Assessoria/Fieac)

Em entrevista coletiva na manhã dessa quinta feira, 17, o presidente da Federação das Indústrias do Acre, João Francisco Salomão, fez um balanço da nossa atividade industrial em 2009. Os números são animadores. O crescimento do Produto Interno Bruto do estado foi de 8,6%, já o setor industrial deu um salto de 9% em 2008 para 13,5% em 2009. A economia industrial deu um salto em 2009, principalmente devido à construção civil. Nessa área, o número de postos de trabalho preenchidos foi de 10 mil funcionários e o crescimento acumulado já chega a 19,97% em relação ao ano passado.

Grande parte desse aumento está relacionado principalmente a grandes obras públicas que acontecem em todo o estado do Acre. Assim, a construção civil foi a grande responsável pelo crescimento dos números da indústria no estado. Já a indústria de transformação também apresentou ótimos resultados, com um crescimento de 7,2% até outubro desse ano, e um aumento de 6,03% no numero de postos de trabalho em relação ao ano passado. O impulso na indústria de transformação aconteceu através de três segmentos: alimentício, cerâmico e moveleiro.

As pesquisas realizadas pelo Instituto Euvaldo Lodi, IEL, e a Universidade Federal do Acre também apontam que houve um aumento de 6,8% na cesta básica de materiais de construção. Esse aumento foi explicado através do aumento da demanda da construção civil dentro do estado. Além disso, para 87% dos empresários ouvidos pela pesquisa, o maior obstáculo para um desenvolvimento mais amplo da indústria acreana ainda é a carga tributária.

Crescimento em 2010 O presidente da Fieac, João Francisco Salomão, explicou que há grandes expectativas para um crescimento ainda maior da economia acreana em 2010. A projeção é que o aumento seja de 10% para o PIB estadual e 15% para o PIB da indústria acreana. Esse número está relacionado principalmente as obras públicas que já estão em andamento, as novas que começarão em 2010 e o programa Minha Morada, o maior programa de habitação do estado do Acre.

Também há uma grande expectativa sobre a indústria florestal madeireira que apresentou bons números em 2009, principalmente através dos incentivos do Governo do Estado do Acre. Outro fator bastante importante são os reflexos positivos provocados na confiança do empresariado em virtude da finalização da Estrada do Pacífico e aproximação da finalização da estrada do pacífico e aproximação da finalização da pavimentação da BR 364.