Fapac e Sect realizam chamada pública para pesquisa científica

Os pesquisadores receberam os recursos financeiros para o desenvolvimento de suas pesquisas (Foto: Larissa Costa/Sect)
Os pesquisadores receberam os recursos financeiros para o desenvolvimento de suas pesquisas (Foto: Larissa Costa/Sect)

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Acre (Fapac), em parceria com a Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia do Estado do Acre (Sect), vem desenvolvendo atividades de fomento à pesquisa com o propósito de contribuir para o incremento científico e tecnológico do Estado. Nesse sentido, a Chamada Pública 003/2013, da Fapac/Sect, teve por objetivo selecionar projetos de pesquisa científica, tecnológica ou de inovação para apoio financeiro.

A Chamada foi lançada em junho e, em setembro de 2013, foram divulgados os dez projetos de pesquisa selecionados para receberem os recursos financeiros. Os projetos contemplados visam promover o desenvolvimento científico, tecnológico ou de inovação nas áreas de produção vegetal, animal e/ou sistema integrado de produção e ferramentas da biotecnologia aplicadas à geração de novos produtos, nas áreas de alimentos, fitocosméticos ou óleos essenciais.

Em solenidade realizada em dezembro de 2013, no Órgão dos Colegiados da Universidade Federal do acre (Ufac), os pesquisadores dos projetos selecionados receberam os recursos financeiros para o desenvolvimento de suas pesquisas. Ao todo foram pagos R$ 234.999,90, uma média de R$ 23 mil por projeto.

A pesquisadora Marta Adelino da Silva Farias, da Ufac, foi uma das contempladas pela Chamada Pública 003/2013. Marta recebeu os recursos financeiros e agora está em processo de desenvolvimento da sua pesquisa que tem como título “Produção e caracterização de Nanopartícula Lipídica Sólida (NLS) contendo cera de murmuru”.

A finalidade do projeto é o desenvolvimento dessas partículas, que apresentam várias aplicações farmacêuticas. No campo dermatológico, as NLS favorecem a melhor penetração na camada córnea, promovendo assim uma hidratação mais profunda e uniforme, o que é de suma importância para manter a saúde da pele.

Já nos medicamentos de uso tópico, elas favorecem uma liberação prolongada, o que aumenta a eficácia terapêutica dos tratamentos dermatológicos. O desenvolvimento da NLS tem como matriz a manteiga extraída do murmuru, que possui propriedades hidratantes.

Segundo Marta Adelino, “outro aspecto importante deste trabalho é a promoção do desenvolvimento tecnológico das empresas nacionais, sendo subsídio para o fortalecimento das indústrias nacionais de tecnologia farmacêutica e cosmético, bem como a promoção do desenvolvimento sustentável na região”.

William Ferreira Alves é outro pesquisador da Ufac que recebeu recursos financeiros para o desenvolvimento de sua pesquisa cujo título é “Análise físico-química de óleos essenciais do vale do Juruá. Estudo da estabilidade química e física”. Com essa pesquisa, pretende-se extrair o óleo essencial por extração de prensagem continua, e avaliar as propriedades químicas e físicas do óleo essencial extraído em diferentes condições de armazenamento.

Os resultados serão relatados por meio de uma “apostila” – que será utilizada como uma ferramenta para as comunidades locais. Outro objetivo da pesquisa é estudar o potencial econômico dos resíduos de folhas e frutos processados, pela extração do óleo essencial, na avaliação da composição nutricional para alimento animal.

Para William, a preocupação de desenvolver pesquisas aplicadas, que garantam embasamento concreto na defesa da qualidade dos produtos não madeireiros, surge após a crise da borracha, onde uma das alternativas para sobrevivência das comunidades locais é a venda de produtos não madeireiros. “A venda de tais produtos gera uma dinâmica de atividades econômicas que aproveitam o potencial da floresta amazônica sem destruí-la e, também, mantém a permanência das comunidades em seus locais originais”, explica o pesquisador.

Essas são algumas das pesquisas que estão sendo desenvolvidas no Estado por meio do apoio financeiro disponibilizado pela Chamada Pública 003/2013, da Fapac/Sect. Além dos pesquisadores da Ufac, também foram contemplados outros do Instituto Federal do acre (Ifac) e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), que estão no processo de desenvolvimento das pesquisas e irão apresentar resultados agora em 2014.

quadro projetos selecionados