Confiança

Fábrica de ração no Acre contempla projeto de desenvolvimento do agronegócio no Acre

O secretário de Produção e Agronegócio, Edivan Azevedo, acompanhado do superintendente do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) no Acre, Fernando Bortoloso, visitou na manhã desta segunda-feira, 3, as instalações da fábrica Raça Forte, que produz suplementos de alimentação bovina em Rio Branco e é um exemplo que contempla e fortalece o projeto de desenvolvimento do agronegócio do Estado.

Fábrica produz até 200 toneladas de suplementos por mês e gera 15 empregos direto Foto: Samuel Bryan/Secom

Inaugurada em agosto de 2019, a fábrica recebeu um investimento de R$ 6 milhões entre compra de terreno, instalações e maquinário para ser uma unidade moderna e bem equipada. Com 15 empregos diretos e produção de suplementos entre 150 a 200 toneladas por mês, tudo tem sido comercializado, com o desejo de expansão para 600 toneladas mensais.

A produção usa como principal matéria prima milho e soja, comprados tanto de produtores acreanos quanto do Mato Grosso. O sócio proprietário Rivelino Mendes conta que a expectativa é de que com esse novo momento do agronegócio no Acre, apoiado pelo governador Gladson Cameli, em breve apenas o mercado acreano seja o suficiente para abastecer a fábrica, um desafio que exige incentivos no setor produtivo.

Grande desafio hoje é estimular a produção de grãos no estado para não depender tanto do mercado externo Foto: Samuel Bryan/Secom

“Somos um grupo que está atuando no Acre há 17 anos e acreditando que esse projeto da Raça Forte vem com tudo para agregar ao mercado da atualidade. No cenário atual temos pessoas querendo investir, buscar mais resultados, mais ganho no pasto e a ferramenta nós temos. Estamos à disposição e achamos que temos tudo para crescer no estado”, conta Ivelino Mendes.

O secretário Edivan Azevedo parabenizou o empresário pelo projeto que gera emprego e renda no estado, destacando que a fábrica recebeu benefícios fiscais do Estado como a redução do ICMS, além da certificação pelo Mapa. Para ele, este é um exemplo claro de sucesso em um empreendimento que compra insumos produzidos no Acre, beneficia e devolve um produto industrializado de qualidade para a região.

A fábrica abastece o mercado local, vende para Rondônia, parte do Amazonas e deseja exportar para o Peru Foto: Samuel Bryan/Secom

Com a fábrica vendendo hoje também para Rondônia e parte do Amazonas, além do objetivo de no futuro exportar para o Peru, o desafio agora é alavancar a cadeia de grãos no Acre, com incentivo ao plantio de milho e soja, o que terá um reflexo na qualidade da carne bovina acreana e na cadeia do leite.

“Esta indústria vem atender a demanda do setor produtivo que quer produtos de qualidade para oferecer ao rebanho. Então ela agrega a produção do Acre, transforma pela industrialização e isso gera o agronegócio. Isso representa muito o projeto de desenvolvimento que o governo do Estado tem para o Acre e estamos aplicando hoje dando incentivo a todos aqueles que desejam investir nessa área”, conta Edivan Azevedo.