Exposição apresenta pinturas de jovem acreano

Pelo menos 20 quadros compõem a primeira exposição individual do jovem artista Luís Eduardo Ferreira, de 19 anos. O vernissage da exposição será dia 25, às 18 horas, na Biblioteca da Floresta/Fundação Elias Mansour (FEM).

“Os desenhos sugerem que se transgrida as barreiras do real”, explica o artista (Foto: Acervo Pessoal)
“Os desenhos sugerem que se transgridam as barreiras do real”, explica o artista (Foto: Acervo pessoal)

“Traços e Cores”, nome do projeto, carrega a proposta do real e do surrealismo nos desenhos em aquarela, mostrando a natureza das coisas em lugares imaginários, onde corpos de animais e pessoas ora se encontram, ora se confundem.

“As obras são consequência de seis anos de emoções materializadas em imagens”, conta Luís Eduardo. Todos os trabalhos são criação do jovem, considerado superdotado pelo Núcleo de Atividades de Altas Habilidades Superdotação (Naahs), da Secretaria de Estado de Educação (SEE).

O lado artístico está presente nas artes plásticas, no canto e no teatro. Mas sua inquietação o motivou a também fazer buscas cursando Psicologia.

Sobre o jovem artista

Luís Eduardo passeia pelos caminhos da arte desde a infância. Sempre recebeu o incentivo da mãe, dos professores e amigos. A princípio, era apenas um dom estimulado, por parecer um hobby, mas, com o apoio do artista plástico Jorge Rivasplata, seus traços passaram a ter mais personalidade.

A exposição “Traços e Cores” fica no saguão da Biblioteca da Floresta até o fim do mês de janeiro próximo.