Estudantes participam da Semana do Protagonismo

Ensino integral no Acre foi implantado em 2017 (Foto: Mágila Campos/SEE)

O governo do Estado, por meio da Secretaria de Educação e Esporte (SEE) em parceria com o Instituto de Corresponsabilidade pela Educação (ICE), realiza a Semana do Protagonismo, com jovens das dez escolas da rede pública de ensino integral.

A ação, que visa capacitar os estudantes e fortalecer um dos Princípios Educativos do Modelo da Escola da Escolha, teve início na segunda-feira, 7, e termina nesta sexta, 11.

Cada instituição recebeu um jovem protagonista de Recife (PE) para orientar sobre o protagonismo e a necessidade dos estudantes de se engajarem para que possam se tornar, simultaneamente, sujeitos e objetos das ações no desenvolvimento de suas potencialidades.

Para o gestor da escola Humberto Soares, Aldino Schattat, os alunos poderão ter uma vivência maior e serem protagonistas de suas histórias. “O novo modelo de ensino mudou a realidade da instituição. Os jovens protagonistas, que vieram de Pernambuco, foram alunos que se destacaram e ajudaram na mudança para uma escola diferente”, disse.

É a segunda vez que a SEE realiza a Semana do Protagonismo – a primeira foi no ano passado, com a abertura do ensino integral no Acre, quando os jovens protagonistas vieram ao estado e tiveram a oportunidade de fazer a acolhida dos estudantes.

Wesley quer criar um clube de rap na escola (Foto: Mágila Campos/SEE)

Wesley Moura, 15 anos, morador do bairro Jorge Lavocat, é aluno do 1º ano da Escola Humberto Soares. Ele tem interesse em montar um clube de rap e mostrar para a escola que, por meio das rimas, pode-se criar seres humanos melhores.

“Muitos acham que o rap é marginalizado, mas não é! Para fazer as rimas tem que ter muito estudo. É isso que eu quero despertar nos jovens, o prazer de criar letras e produzir um bom trabalho, sem precisar da marginalização”, afirma o estudante.

A jovem protagonista Dayane Oliveira está pela segunda vez no Acre para incentivar os estudantes a criar clubes nas escolas. Segundo ela, sua missão é resgatar a ideia com os alunos que já vivenciaram essa ação em 2017 e poder iniciar a temática dos clubes com os novos estudantes.

“Vou falar sobre a importância da criação dos clubes nas escolas e como eles vão poder direcionar. Eles irão se reunir durante os intervalos, e isso não atrapalhará as aulas. Queremos despertar o protagonismo nos jovens, pois essa prática era direcionada pela escola”, diz Dayane.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest