Direitos Humanos

Estado promove cidadania na semana nacional do registro civil

Em harmonia com demais instituições, nos dias 12 e 13, o governo do Estado promoveu cidadania para a população acreana com a emissão de documentos básicos no Palácio da Justiça, em Rio Branco. A ação é realizada pelo Conselho Nacional de Justiça e acontece em alusão a semana nacional do registro civil, na busca de reduzir o sub-registro da população com a oferta de documentos como CPF, certidão de nascimento, registro geral e título de eleitor.

O Palácio da Justiça condensou os esforços das instituições na promoção de cidadania. Foto: Carlos Alexandre/Seasd.

César Pinho, chefe do departamento de registro civil e documentação da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos (Seasd), participou assessorando os cartórios participantes na retirada de segundas vias de registro de nascimento, certidão de casamento e óbito. Ele aponta: “Essa ação é fundamental para a sociedade acreana, tendo em vista que nosso estado configura como a quinta maior taxa de sub-registro do país. Devemos buscar garantir a existência documentada de todos”.

César Pinho, servidor do Estado, defende o direito básico do cidadão em ter sua personalidade documentada. Foto: Carlos Alexandre/Seasd.

A união do Estado, do judiciário e dos cartórios do Brasil, resultou em conquistas como a de Maria das Dores Lima, dona de casa que teve a oportunidade de, com facilidade, tirar a segunda via do seu RG e retificou o registro do seu filho. “Aqui encontrei um ótimo atendimento e com grande agilidade consegui regularizar o meu documento e o do meu filho. Estou muito satisfeita com o serviço prestado”, agradece.

Maria foi uma das beneficiadas com a união das instituições na busca da regularização de documentos. Foto: Carlos Alexandre/Seasd.

Francisco Camurça foi outro beneficiado, o qual após 20 anos de procura em diversos cartórios conseguiu retirar sua certidão de nascimento, com o apoio de servidores do Estado. “Esse é um serviço de alta relevância para a população. Gratidão e felicidade é o meu sentimento em ver a felicidade estampada no rosto das pessoas que alcançam a cidadania por meio do nosso esforço”, exalta Pinho.

O caso de Francisco foi acompanhado pelos servidores do Estado que se empenharam em promover o acesso à essa importante identificação. Foto cedida.