Bem-estar

Estado dá dicas de como amenizar impactos do isolamento social do idoso

A quarentena e o distanciamento social devido à pandemia da Covid-19 está mudando a rotina das pessoas, em especial dos idosos. Por isso a Secretaria de Estado de Assistência Social, dos Direitos Humanos e de Políticas para as Mulheres (SEASDHM) desenvolveu algumas dicas de como amenizar os impactos do isolamento social do idoso. 

“Para os idosos, pedimos que mantenham o distanciamento social, por fazerem parte do grupo de risco, manter-se recluso não é uma tarefa fácil. Sabemos que existe um risco maior, pois estão mais vulneráveis a desenvolver doenças mentais tais como depressão, pânico, ansiedade ao carecerem de estímulos e interação social”, comentou a psicóloga Luzivera Batista, CRP-AC 20/04420. 

Os jogos (cartas, dominó, dama) podem ser uma forma de distração para os mais velhos e ajudam a interação e abstrai os pensamentos, como também não focar apenas nas notícias sobre o coronavírus Foto: Neto Lucena/Arquivo Secom.

“A atenção aos idosos além de fazer parte da nossa política de Direitos Humanos é uma pauta importante no coração do nosso governador. Por isso estamos promovendo orientações psicológicas e dando suporte assistencial aos que têm nos procurado. Nosso intuito é fortalecer cada vez mais as políticas no estado e promover os direitos da pessoa idosa”, ressaltou a secretária de Estado, Ana Paula Lima.

É preciso ficar atento que o isolamento é apenas um dos cuidados principais. Pois, nesse momento o bem estar e a saúde mental são essenciais para vencer esse vírus. Algumas dicas inclui traçar metas como fazer atividades físicas. O corpo precisa de movimento, isso irá ajudar na prevenção de quadros depressivos e de ansiedade (exemplo: realizar caminhadas em casa), estimular os músculos do corpo e a noção espacial, fazer exercícios respiratórios. 

“De fato é um grande desafio viver esse momento. As pessoas que estão na posição de parente ou responsável, muitas vezes acabam tendo dificuldade quando vão conscientizar o idoso, tendo em vista que o isolamento social é um pedido para que se limite sua liberdade. É preciso olhar de outra forma e refletir que esse idoso, provavelmente, cuidou de você ou de alguém que você ama, pela maior parte da sua vida e, dentro desse contexto, é importante garantir o bem-estar. Com persistência, diálogo e carinho conseguirão quebrar a resistência”, comenta  a psicóloga, Dina Larissa, CRP 20/05790. 

Dicas de como amenizar os impactos do isolamento do idoso

Converse sobre algumas histórias que ele tenha vivido na fases da vida (infância, juventude e idade adulta), reveja fotos de momentos importantes, que tragam boas recordações. Isto ajudará a cognição e reforça a importância dele na família;

Os jogos (cartas, dominó, dama) podem ser uma forma de distração para os mais velhos e ajudam a interação e abstrai os pensamentos, como também não focar apenas nas notícias sobre o coronavírus;

Procure assistir filmes que ele goste ou programas que ambos têm interesse;

Para quem mora longe do idoso: troque mensagens e faça ligações e chamadas de vídeos sempre que possível;

Fale sempre sobre a importância do isolamento, mas,frise que de fato essa fase é passageira e logo poderão sair da privação de liberdade. Essa mensagem afirmativa, é importante para que os idosos se sintam mais seguros e acolhidos;

Incentive-os a cuidar do corpo e fazer atividades físicas ou outra atividade que goste como: dançar, cozinhar, ler, ouvir música, cultivar plantas ou tocar um instrumento; 

Se tiver quintal em casa, incentive que tire alguns minutos do dia para tomar sol, para absorver a vitamina D e tentar relaxar. Os horários mais indicados para tomar sol são antes das 10h e após as 16h.