economia

Estado cria estratégias de vendas para produtoras rurais de baixas emissões 

Com a propagação global do novo coronavírus, o distanciamento social recomendado por autoridades de saúde afeta particularmente profissionais cujos empregos dependem do contato pessoal.  

Preocupado com a situação das mulheres produtoras rurais de baixas emissões, o Governo do Estado por intermédio do Gabinete da Primeira-Dama, em parceria com a Companhia de Desenvolvimento e Serviços Ambientais do Acre (CDSA S/A Acre), Secretaria de Estado de Indústria, Ciência e Tecnologia (Seict) e Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Regional (Sedur) tiveram a iniciativa de oportunizar estratégias para ajudar estas pequenas produtoras a venderem seus produtos. 

A ideia é facilitar a venda por meio das redes sociais e a criação de um aplicativo para que o fornecimento seja realizado por serviço de entrega em domicílio (delivery).  

Primeira-dama do Estado, Ana Paula Cameli, no 2º Encontro de Mulheres Empresárias Rurais de Baixas Emissões na Amazônia Sul-Ocidental – Região MAP Foto: Neto Lucena/Secom

A primeira-dama do Estado, Ana Paula Cameli explicou que esse projeto foi debatido no 2º Encontro Trinacional de Mulheres Empresárias Rurais de Baixas Emissões da Região MAP, realizado no início de março em Rio Branco, mas devido ao Decreto 5.465 do Governo do Estado, com uma série de medidas para proteger a saúde do povo acreano, as mulheres empresárias rurais de Bujari, que fornecem frutas, hortaliças e outros produtos saudáveis, e dependem das vendas em feiras livres, poderiam ter um grande desperdício de alimentos e prejuízos financeiros por conta da pandemia.

“Uma ideia que deveria ser amadurecida, acabou se tornando em uma realidade emergencial. Era uma preocupação do governador, Gladson Cameli e minha, dar suporte a essas produtoras. É uma satisfação ajudar essas mulheres, que em sua maioria são chefes de suas famílias, ainda mais nesse momento de pandemia”, evidenciou a primeira-dama do Estado.

Primeira-dama com as mulheres produtoras rurais de baixas emissões do Bujari Foto: Neto Lucena/ Secom

No último fim de semana, a primeira-dama e o governador Gladson Cameli divulgaram o projeto em suas redes sociais, com o telefone de contato para os pedidos delivery de hortaliças, verduras, legumes e outros alimentos. Os cards com as informações dos produtos e valores foram compartilhados em grupos de WhatsApp e demais redes sociais e foi um sucesso de vendas. 

Geovana Castelo Branco, uma das produtoras que utilizou o método de entrega a domicílio,  esclareceu que cerca de 10 produtoras rurais conseguiram dar vazão aos seus produtos, mantendo suas rendas semanais e ainda com aproximadamente mil pedidos pendentes, o que acarretará agregar mais produtoras rurais e a contratação de mais estrutura para logística de entrega.  Além de manter a força da atividade comercial, também será possível a geração de novos postos de trabalho. 

Produtos das mulheres produtoras rurais do Bujari Foto: Neto Lucena/Secom

“Graças à ajuda do governo, por intermédio da primeira-dama, os pedidos foram além das expectativas. Os primeiros atendimentos do serviço de entrega em domicílio foram organizados pelas produtoras dos assentamentos Walterace e Antônio de Holanda”, explicitou Geovana Castelo Branco. 

Para José Gondim, presidente da CDSA, as adaptações são normais em um processo de mudança de comportamento entre produtores e compradores de produtos regionais e orgânicos.  

 “Com essa iniciativa positiva está sendo gerado um novo ambiente de negócios para as mulheres produtoras rurais, atingindo o objetivo de manter a renda semanal dessas mulheres e suas famílias”, apontou Godim. 

O próximo passo do serviço delivery das produtoras de Bujari será a aquisição de um local central para facilitar as entregas e atendimento de forma mais célere, eficiente e eficaz e o aplicativo que será desenvolvido por parceiros das mulheres produtoras para facilitar aos clientes a solicitação dos pedidos.