Escolas envolvem comunidades em campanha contra zika

Na última semana, mais escolas fortaleceram o combate ao mosquito Aedes aegypti em suas comunidades. O destaques foram as escolas Maria Angélica, Oscar Felício de Souza e Irene Dantas – as duas últimas na zona rural de Rio Branco. A iniciativa reforça o compromisso da Educação com a campanha Escola Sem Zika.

Maria das Dores Ferreira, diretora da Irene Dantas, diz: “Estamos todos preocupados, e levamos isso para a comunidade”. A professora Maria Rosineia Nepomuceno explica o projeto “Estamos falando de prevenção desde que se iniciaram as aulas. Panfletamos no bairro e realizamos apresentações culturais que desenvolveram o tema.”

As escolas têm envolvido os alunos nas campanhas de combate ao mosquito (Foto: Marinêz Lopes/SEE)
Escolas têm envolvido os alunos nas campanhas de combate ao mosquito (Foto: Marinêz Lopes/SEE)

A mãe Alessandra Andrade diz: “Todos devem se cuidar. Essa missão é maior para os pais, que devem proteger seus filhos e evitar água parada. A escola está de parabéns, por reforçar essas informações com a vizinhança”.

A diretora Graciene Malveira, da Oscar Felício de Souza, afirma que no entorno foram achados focos da dengue. “Existem pessoas que não estão tomando os cuidados necessários, e todos nós somos prejudicados”, alerta. O pai Francisco Cunha concorda: “A escola traz uma reflexão de tudo que estamos passando com o aparecimento dessas doenças”.

A aluna Yasmin Nascimento participou da peça “Dengue no Reino Encantado”, por isso sabe de cor as dicas que compuseram a encenação. Ela explica: “A fêmea põe 350 ovos e pode picar até 30 pessoas por dia. Então não precisa de muitos mosquitos para infectar muita gente”.