Amor ao próximo

Enfermeiros e o nobre trabalho de salvar e cuidar de vidas

Edivancléia e a felicidade de ter escolhido a enfermagem como profissão (Foto: Júnior Aguiar)

Dedicação, amor ao próximo e compromisso com a vida são alguns dos requisitos necessários para quem escolhe a carreira da enfermagem. Mas se engana quem pensa que para a atividade profissional seja importante apenas o conhecimento técnico sobre prestação da assistência médica oferecido pelas universidades e faculdades. É preciso muito mais.

O sentimento de cuidar das pessoas está presente nas histórias de vida dos enfermeiros que compõem a rede estadual de saúde. É o caso de Edivancléia do Nascimento, enfermeira da Unidade de Pronto Atendimento Franco Silva, na região da Sobral.

Ela conta que decidiu pela profissão por influência da mãe, que é técnica em enfermagem. “Eu via minha mãe atendendo as pessoas, estudando para ser uma profissional melhor, e aquilo me encantava. Ter me tornado enfermeira foi a realização de um sonho de toda a família.”

Perguntada sobre se é feliz com a profissão escolhida, a resposta vem acompanhada de um sorriso que só tem quem fez a escolha profissional correta. “Eu não me vejo trabalhando em outra coisa, eu não sei se serviria para outra atividade.”

Por conta do tipo de atendimento prestado, os enfermeiros são os profissionais em saúde que mais têm contato com os pacientes. É exatamente essa proximidade que encanta Ana Cláudia Onofre, coordenadora de enfermagem da UPA do 2º Distrito. “Esse contato direto com o paciente é muito bom. Com a enfermagem eu consigo me dedicar ao próximo.”

Enfermeiras conferem prontuários dos pacientes na UPA Franco Silva, região da Sobral

Opinião que é compartilhada por outra profissional que se dedida com amor ao ofício da enfermagem. Todos os dias, Eliane Franco chega a UPA da Cidade do Povo com a missão de fazer o melhor possível pelos pacientes que são tratados na unidade. “Muitas vezes as pessoas nem precisam de medicamento. Em muitos casos, o paciente quer apenas conversar, quer apenas um pouco de atenção. Com uma palavra atenciosa, a gente consegue arrancar um sorriso e melhorar a vida daquela pessoa.”

Saúde do Acre tem mais de 450 enfermeiros contratados

A Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) tem atualmente, contratados, 452 enfermeiros cuidando da saúde da população acreana.

São profissionais que prestam os mais diversos serviços nas unidades de saúde – desde a classificação de risco quando um paciente chega à procura de atendimento até auxiliar os médicos nos procedimentos cirúrgicos mais complexos, como transplantes e cirurgias neurológicas.

“A enfermagem tem um olhar no todo, e está permanentemente ao lado do paciente. Certas situações que são importantes para o tratamento são evidenciadas pelo enfermeiro e passadas ao médico, que faz com que um trabalho complemente o outro”, destaca Mary Anne Freitas, enfermeira da UPA da Sobral.

São mais de 450 enfermeiros espalhados pelas unidades de saúde atendendo a população (Foto: Júnior Aguiar)

O esforço dos enfermeiros em garantir a oferta de um serviço de qualidade a toda a população acreana é reconhecido por quem tem a responsabilidade de gerenciar a saúde no estado. “Nós do governo temos a consciência que os grandes avanços no setor da saúde ao longo desses últimos anos é fruto, além de investimentos em equipamentos, reforma e construção de unidades de saúde, do compromisso dos nossos profissionais. E os nossos enfermeiros, em sua grande maioria, encaixam-se no perfil de profissionais sérios e comprometidos em ofertar um bom atendimento à população. Só nos resta reconhecer e continuar a investir na valorização e qualificação desses servidores”, destaca Gemil de Abreu Júnior, secretário de Estado de Saúde.