Emprego formal na construção civil do Acre acumula saldo de 12% em 2008

Comércio também está abrindo mais  vagas, confirma sindicato de trabalhadores

Efeito dos investimentos públicos e privados, o emprego formal na construção civil do Acre já acumula crescimento de 12,4% entre janeiro e maio de 2008, indicam os dados do Ministério do Trabalho. O setor é  um dos mais fortes e mais carentes em mão-de-obra especializada. Para suprir a demanda atual e futura o Governo do Estado  e a Federação das Indústrias do Acre (Fieac) irá especializar, até 2010,  ao menos 4,5 mil carpinteiros, eletricistas, pedreiros, pintores e outros profissionais da construção civil. Estão envolvidos no projeto o Instituto de Educação Profissional Dom Moacyr e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).  

 

Em maio, no Acre, foram   2115 admitidos e 1299 desligados, registro de um  saldo positivo  de 816 postos de trabalho. Nesse universo,  a construção civil  registrou crescimento de 7,20 %, seguido de indústria de transformação, com  1,53%, e o comércio, com  1,52%.

Em relação ao comércio, os números do Governo Federal são confirmados pelo sindicato da categoria. "O nível do emprego está de fato crescendo. Podemos perceber isso pelos exames admissionais realizados pelo sindicato", disse José Maria, presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio do Acre (Sincoacre). A remuneração  da categoria obteve, a partir de 1º de julho, 8% de aumento para quem recebe o mínimo da classe,   R$ 448,20. Para quem ganha salário fixo ou acima do piso, o reajuste foi de 3%.