orientação

Educação do Acre desenvolve o projeto Escolas sem Drogas

A Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esportes do Acre (SEE), por meio da Diretoria de Ensino, desenvolve o projeto Escolas sem Drogas, dentro do projeto Leitura e Letramento, associado com a temática de prevenção às drogas, uma das ações do projeto Escola Segura, previsto no plano de governo.

A SEE aderiu ao contrato do projeto Escolas Sem Drogas, da Editora Nova, que vai além da aquisição de livros, envolve também um ciclo de palestras de conscientização e integra ações de prevenção à dependência química, orientando os alunos sobre as complicações patológicas diversas, os distúrbios e os problemas que prejudicam a convivência social do dependente de drogas, sem dar enfoque às substâncias, para que não desperte a curiosidade por parte dos alunos.

O projeto-piloto está sendo executado em 38 escolas urbanas e duas rurais de ensino fundamental – anos finais, de Rio Branco. Foto: Mardilson Gomes/SEE

O público-alvo são professores, alunos, pais, corpo gestor e funcional da escola. O projeto tem como proposta pedagógica e paradidática capacitar a escola e a família para prevenir o consumo de drogas.

O projeto também está sendo executado em algumas cidades dos estados do Amazonas, Pará, Ceará, São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. No Acre, o projeto-piloto atende 38 escolas urbanas e duas rurais de ensino fundamental – anos finais, em Rio Branco, com ferramentas objetivas que propõem a busca de soluções viáveis de prevenção e cura.

O projeto Escola sem Drogas permite ao professor trabalhar o tema com sua turma a partir da leitura do livro Entre Sol e Chuva, um romance juvenil, do escritor Filippe Maffra, baseado em fatos reais, que conta a história de luta e superação dos seus pais Arlem Maffra e Laila Maffra contra o vício de drogas.

“A nossa ideia, ao desenvolver este projeto, é que não se chegue ao tratamento, mas que se trabalhe com a prevenção, com orientação, como é feito no Proerd. Nós pensamos em dar continuidade nas ações que são desenvolvidas nos anos iniciais, por meio deste projeto, que é para os anos finais”, destacou a diretora de Ensino da SEE, Denise dos Santos.

O livro já foi distribuído para os estudantes com a finalidade de promover a sua interação com a trama histórica e gerar o debate, de forma que possam assimilar o conteúdo e construir uma opinião subjetiva contra o uso de drogas.

O projeto trabalha o tema a partir da leitura do livro Entre Sol e Chuva, um romance juvenil, do escritor Filippe Maffra, baseado em fatos reais. Foto: Divulgação

A equipe do projeto realizou um ciclo de palestras online de sensibilização com os personagens do livro Entre Sol e Chuva e os professores, gestores e técnicos da SEE, na semana passada. No período de 20 a 30 de setembro, as palestras serão presenciais nas escolas, com os alunos e com os pais em horários diferentes, e no dia 4 de outubro será o “encontrão”, considerado o ápice do projeto, com a presença do autor do livro.

Ações de prevenção às drogas nas escolas

Com o projeto Escolas sem Drogas, agora a SEE oferece ações de prevenção voltadas para as três etapas do ensino. Os estudantes do ensino fundamental – anos iniciais são atendidos com as ações do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), num esforço cooperativo estabelecido entre a Polícia Militar, a escola e a família.

Para os estudantes do ensino médio, a SEE tem uma serie de parcerias com instituições como o Tribunal de Justiça do Acre (TJ/AC), o Ministério Público do Estado (MPAC) e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que são levadas para dentro das escolas com oficinas que abordam temáticas como bulling, gravidez na adolescência, violência e consumo de drogas. A equipe gestora define qual é o tema mais necessário para o momento.