estudo de línguas

Dois professores da rede pública estadual são aprovados em seleção e vão fazer aperfeiçoamento nos EUA

Os professores de língua inglesa Marcelo Pereira e Cindy Rosales Leite vão estudar por seis semanas em universidades renomadas nos Estados Unidos. Eles estão entre os 371 educadores brasileiros selecionados para participar do Programa de Desenvolvimento Profissional de Professores de Língua Inglesa nos Estados Unidos (PDPI). 

O programa dá bolsas de estudo e alojamento a professores de inglês que trabalhem de forma efetiva na rede pública, estejam com estágio probatório concluído e em exercício do magistério. Para participar, o educador deve alcançar uma boa pontuação no Teste de Inglês como Língua Estrangeira (Test of English as a Foreign Language – TOEFL). 

Professor Marcelo Pereira com seus alunos da Educação de Jovens de Adultos. Foto: Arquivo pessoal

Essa é uma iniciativa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) em parceria com a Comissão para Intercâmbio Internacional entre os Estados Unidos da América e o Brasil (Comissão Fulbright), uma entidade binacional, criada por meio de acordo entre os dois países. No Acre, o PDPI é coordenado pela Divisão de Ensino de Línguas da Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esportes. 

Marcelo, professor das escolas Paulo Freire e Terezinha Miguéis, de Rio Branco, trabalha na rede estadual desde de 2014 e participa do programa pela primeira vez. Ele fará o curso intermediário na Universidade da Carolina do Norte, em Charlotte, uma das melhores universidades dos Estados Unidos. 

“Minha expectativa é aprender mais sobre a língua inglesa e sua cultura, principalmente a cultura americana, a qual faz parte de minha formação universitária, voltada para a língua inglesa e suas respectivas literaturas”, conta o educador.

Professora Cindy Rosales Leite. Foto: Mardilson Gomes

Já Cindy é professora do Centro de Estudo de Línguas (CEL) e esta é a sua segunda participação no PDPI. A primeira foi em 2013. Na época, ela estudou em uma universidade no estado do Missouri, no centro-oeste do país, quando a pontuação obtida no TOEFL permitiu que ela fizesse um curso de aperfeiçoamento no nível intermediário. 

Desta vez, sua pontuação permitirá que ela curse metodologia no nível avançado em uma universidade na Filadélfia, no estado da Pensilvânia, localizado na região nordeste dos Estados Unidos.  “Acho que estou mais empolgada nessa segunda vez. Lá vou aprender novas técnicas para aplicar em sala de aula e a imersão cultural ajuda muito. Preenche lacunas na vida pessoal e profissional”, destaca.

A viagem dos dois educadores está marcada para janeiro de 2023. Para o coordenador-geral CEL, Charles Sante, ter esses profissionais entre os professores brasileiros aprovados no programa é uma conquista para a Educação do Acre: “Desejamos sucesso e que seja uma experiência ímpar para ambos”.