janela da alma

Cuidar da saúde dos olhos é essencial para viver com qualidade

Os olhos são os órgãos que ajudam na realização das tarefas do cotidiano e com eles choramos, rimos e amamos, ou seja, a comunicação é estabelecida por meio desses receptores de imagem. Neste dia 10 de julho é celebrado o Dia Nacional da Saúde Ocular. A data pretende abordar os principais problemas de visão, além de conscientizar sobre as formas de prevenção e o tratamento, seja medicamentoso ou cirúrgico.

Exame ocular de rotina realizado na Fundhacre Foto: Danna Anute

Assim como os outros membros e órgãos do corpo humano precisam de atenção, os olhos também carecem desse cuidado, pois infecções e lesões oculares podem ser evitadas em muitos casos, sobretudo àqueles que podem trazer riscos à visão.

Hábitos ruins podem gerar danos progressivos a saúde ocular. A alimentação inadequada pode ocasionar uma delas provocando a retinopatia diabética e, paralelamente a isso, o fumo é um fator de risco para a degeneração ocular, além de potencializar as reações de coceira e irritação nos olhos. A lista de práticas danosas é contínua, inclusive, em quesitos de beleza, como por exemplo, colar cílios artificiais nos naturais, isso em demasia pode acarretar danos aos cílios nativos e provocar lesões oculares em médio e longo prazo.

Assim, os principais problemas de visão, na fase infantil estão relacionados ao estrabismo e a miopia, e nos adultos destaca-se a degeneração ocular, glaucoma, catarata e a retinopatia diabética.

Diálogo breve sobre o histórico da paciente Foto: Danna Anute

Portanto, a atenção à saúde dos olhos significa diminuir o uso destinado às telas de celulares e computadores. Além disso, é fundamental procurar ajuda do especialista para fazer revisões anuais, assim como ter uma alimentação saudável e ficar alerta ao histórico de doenças oculares na família. Ademais, usar de modo regular e correto os colírios, quando necessário, pode ser a maneira de frear o agravamento da perda visual ou cegueira, além de ser primordial para desfrutar de uma boa qualidade de vida.

Serviço na Fundhacre

Em Rio Branco, na Fundação Hospital Estadual do Acre (Fundhacre) os oftalmologistas já atenderam 1.287 pessoas entre janeiro e abril deste ano. Os atendimentos estão ocorrendo regularmente e avançando a fim de reduzir as filas de espera.

Entre os atendimentos realizados na unidade hospitalar. No mês passado, deste ano, Iamara Souza de Andrade terminou sua espera para consultar o filho.

“Fui vacinar o Ian no posto de saúde, e a enfermeira me orientou para procurar um especialista. Então eu fui atendida por um clínico geral e fui encaminhada para um oftalmologista. Foi assim que descobri o estrabismo no Ian. Meu filho usa óculos desde 1 ano”, relatou a mãe de Ian Felipe Andrade, agora com 3 anos.

Ian Felipe Andrade usa óculos desde o 1 ano. Foto: Danna Anute

O estrabismo é um desalinhamento no globo ocular, isso pode causar visões duplas e até gerar a miopia, se não for tratado.

“Eu moro em Plácido de Castro e por incrível que pareça fui atendida rapidamente, agendei a consulta e fui chamada para falar com o oftalmologista. Há 15 anos uso óculos de grau, e descobri que precisaria usar quando fui fazer minha graduação online, pois usava muito o computador e tinha dificuldade para fazer as tarefas diárias. Eu tenho problema na minha retina, não enxergo quase nada do lado direito. Hoje, só faço acompanhamento da minha vista ocular, mas entendo que se tivesse feito exames mais cedo, talvez não tivesse agravado o problema”, relatou Ivonete Soares, de 56 anos, paciente com catarata.

Exame de rotina na Fundhacre Foto: Danna Anute

A catarata é uma doença que mancha e ofusca a visão, ela é progressiva, quer dizer, acompanha o envelhecimento natural da pessoa, mas também pode ser derivado de fatores genéticos.

“Nas consultas, o diagnóstico mais frequente são relacionados as cataratas, e nos dois últimos anos, com o governo do Gladson Cameli, nós voltamos a fazer as cirurgias de catarata que estavam paradas há algum tempo. Atualmente, já conseguimos avançar bastante e solucionar esse problema que é a perda da saúde ocular”, relatou o médico e cirurgião da Fundhacre, Renízio Saraiva.

Um dos oftalmologista da Fundhacre, Renízio Saraiva Foto: Danna Anute

Independentemente dos sinais e sintomas como dores de cabeça, visão embaçada, irritação nos olhos, vermelhidão e sensibilidade à luz, é de suma importância que o indivíduo procure auxilio médico e se conscientize sobre o uso moderado das telas de smartphones e computadores para viver bem.

“A Fundhacre tem buscado melhorar o atendimento da população acreana, e também tem procurado orientar as pessoas para os cuidados a saúde ocular, pois os olhos são realmente as janelas da alma e eles precisam de cuidado”, disse o presidente da unidade hospitalar, João Paulo Silva.

Presidente da Fundhacre, João Paulo Silva Foto:Danna Anute

De acordo com informações obtidas por meio do relatório Mundial sobre a visão, em 2019, globalmente há mais de 2 milhões de pessoas que têm pelo menos uma deficiência visual, que pode está relacionada a uma doença emergente ou hereditária, por isso abordar a temática é fundamental para enfrentar os desafios que surgem no cotidiano.