Comitê planeja voluntariado voltado à população em situação de rua

O projeto traz a certeza da necessidade do diálogo com a população (Foto: Stael Maia)
O projeto frisa a necessidade de diálogo com a população (Foto: Stael Maia)

De 29 a 31 de março, no auditório da OCA, 28 instituições governamentais e não governamentais reuniram-se em prol da sensibilização do Comitê Gestor Intersetorial de Acompanhamento e Monitoramento da Política Estadual para População em Situação de Rua.

“A oficina visa desconstruir preconceitos e construir conceitos”, explica a assessora técnica Susie Lamas. O comitê faz parte do Projeto Dignidade e Autonomia para População em Situação de Rua, coordenado pelo gabinete da vice-governadora Nazaré Araújo, em conjunto com as secretarias estaduais de Justiça e Direitos Humanos e da Gestão Administrativa e Prefeitura de Rio Branco, por meio da Secretaria de Assistência Social.

O projeto trabalha com a necessidade do diálogo, para o resgate da autoestima e da identidade da população em situação de Rua de Rio Branco, e convida a população em geral ao voluntariado.

“Sempre que temos oportunidade de repartir esse cuidado voltado à população, é muito importante. A população de rua é público de todas as políticas sociais e também da sociedade civil, todos têm muito a contribuir”, Fábio Silva, diretor de proteção social especial.

Ações de voluntariado

Momentos de vivência com música, automassagem e oficina de reciclagem já foram realizados durante o mês de março na Casa Abrigo Dona Elza, local que presta acolhimento à população em situação de rua na modalidade de abrigo institucional. As ações foram coordenadas pela Secretaria Adjunta de Pessoas e Humanização por meio de voluntários.

“O voluntariado é importante porque convida a toda a sociedade e servidores públicos para assumirem o enfretamento, um desafio que é de toda a comunidade”, acrescenta a secretária adjunta de Humanização (SGA), Elineide Meireles.