Centro de Parto da maternidade será entregue nesta segunda

LSP_8549
Sala Vitória-Régia conta com banheira para parto em água morna. (Foto: Diego Gurgel/Secom)

Nesta segunda-feira, 20, a Maternidade Bárbara Heliodora passa a contar com mais um bloco para atendimento das gestantes.

O novo Centro de Parto da maternidade pública está em fase final de acabamento e passa a funcionar a partir da próxima semana, com seis novos leitos construídos dentro dos padrões exigidos pelo Ministério da Saúde.

As obras foram executadas pelo governo do Estado, por meio da Secretaria de Obras Públicas, e pretendem adequar o espaço às recomendações da Rede Cegonha. Todos os espaços são identificados, como a sala Vitória-Régia, que conta com uma banheira para o parto em água morna.

Segundo Rossana as novas salas garantes os direitos das gestantes (Foto: Diego Gurgel/Secom)
Segundo Rossana, as novas salas garantem os direitos das gestantes (Foto: Diego Gurgel/Secom)

“Todos os espaços foram cuidadosamente pensados para garantir o conforto das gestantes. É nessa hora que as mamães precisam de todos os cuidados. Nosso objetivo é garantir que elas tenham acesso ao parto humanizado, preconizado pelo governo federal, já realizado pelos profissionais da maternidade”, afirmou Rossana Oliveira, gerente-geral da MBH.

Foram investidos mais de 550 mil reais nas novas instalações da unidade de saúde. Além das novas salas privativas de parto, o espaço conta com posto de enfermagem, banheiros adaptados para as gestantes, banheiros exclusivos para acompanhantes, sala de reanimação neonatal e rápido acesso ao bloco cirúrgico da maternidade.

Os banheiros do Centro foram adaptados para as gestantes. (Foto: Diego Gurgel/Secom)
Banheiros do Centro foram adaptados para as gestantes. (Foto: Diego Gurgel/Secom)

As salas PPP (pré-parto, parto e pós-parto) devem contar com uma gama de profissionais altamente capacitados para receber as gestantes e realizar os procedimentos necessários para um parto seguro.

“Aqui vão estar médicos obstetras, enfermeiros, técnicos em enfermagem e residentes de enfermagem e medicina, que atuam sob supervisão. Essa estrutura garante que possamos utilizar técnicas menos incisivas e mais saudáveis para as mães e seus bebês”, disse Rossana.