Município conclui primeira fase do programa Ruas do Povo

dsc03917.jpg
dsc03920.jpg

Os Becos de Brasileia são famosos por suas histórias e por quem neles moram (Foto:Assessoria Depasa)

Com o desígnio de pavimentar as Ruas de todos os municípios, o governo do Estado, por meio do Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento (Depasa), entrega na tarde desta sexta-feira, 4, obras provenientes do Ruas do Povo que contemplam quatro Becos e uma Travessa, localizados no centro do município de Brasileia e encerrando assim o lote de obras da primeira fase.

Os Becos de Brasileia são famosos por suas histórias e por quem neles moram. Moradores que se fizeram marcantes ao longo dos anos tiveram seus nomes eternizados, destacados na entrada de um determinado Beco. Como é o caso do Beco Marina e Beco da Graça. Ambos possuem o nome de moradoras. Neste caso não existe coincidência, existe referência. A primeira resposta que se tinha, ao indagar sobre a localização de um dos becos, era onde morava uma delas.

Conhecida não só no Beco ou ao redor, dona Graça Ferreira Silva, 54, relembra sua trajetória de vida. Aos 16 anos, a filha de cearense, soldado da borracha, perdeu a mãe e passou a assumir as responsabilidades da família. Trabalhava em dezesseis casas fazendo faxina. Por nunca desistir de seus sonhos, Graça ganhou de um dos prefeitos da época um pedaço de terra. E foi neste pedaço de terra, o qual vive até hoje, que sua história se destacou.

Ela conta que foi a primeira moradora do Beco, o qual leva seu nome. No local só existia a rádio 3 de julho. Sua casa, segundo ela, era menor que uma garagem. Com muita persistência ela conseguiu aumentar a casa. “Teve uma época que a ponte caiu, aí o velho da ponte me deu todas as madeiras. Foi como eu consegui fazer um quartinho. Fui trabalhando, encerando a casa dos outros e lavando para fora. Assim consegui aumentar a casa. E trouxe minha irmã para morar com a gente, para ajudar com o meu pai que ficou paralítico. Hoje nós moramos numa casinha de madeira de dois pisos, no novo Beco da Graça e da alegria”, brinca a moradora.

O Beco sonhado

“Esse é um Beco sonhado”, diz dona Graça. “Antes meu sentimento, quando passava pelo beco, era de medo, tristeza e infelicidade ao ver o caminho da nossa casa tão escuro, abandonado. Na parte da noite muitas pessoas tomavam de conta para fazer coisas erradas. Ver pessoas usando drogas era quase normal. A nossa situação não era fácil. Nós tínhamos muito medo. Hoje, graças a Deus, muita coisa mudou. Quando eu entro no Beco para ir pra casa me sinto como se estivesse entrando no céu. É maravilhoso. É como se todo tormento que nós vivemos um dia não tivesse passado de um pesadelo. É bom sentir isso. É por isso que eu sou grata aos meus queridos: Tião Viana e Jorge Viana, que também viveram em Brasileia e sabem do que o povo precisa”.

dsc03923.jpg

Conhecida não só no Beco ou ao redor, dona Graça Ferreira Silva, 54, relembra sua trajetória de vida (Foto:Assessoria Depasa)

No Beco da Maringosa o sonho se repete. Dona Ana, 65, dona de casa de um jeito tímido e gracioso diz que “receber esse Beco Reformado foi a melhor coisa que aconteceu. Eu cheguei a pensar que nunca fosse chegar a ver, muito menos andar e passear por esse Beco pavimentado e cheio de flores. Esse beco é um sonho realizado para todos nós”, disse.

Ruas do Povo: Trabalho em parceria

“Um sonho realizado e um pouquinho mais”, foi o que afirmou dona Marineide, 48, filha de dona Marina, que faleceu aos 62 anos, mas que nunca será esquecida por nenhum dos moradores que a conheceram. “Tudo o que a minha mãe queria ver era esse Beco com uma nova forma, com mais cuidado. Na verdade acho que ela ia ficar mais feliz que o esperado, porque ela jamais imaginou que o Beco fosse ter ser nome. Eu tenho certeza que ela está muito feliz. Eu estou”, disse Marineide.

De acordo com o diretor do Depasa, Gildo César, “Em Brasileia nós nos deparamos com uma característica diferente do que vem sendo adotado pelo Ruas do Povo. Hoje, nós estamos entregando quatro Becos que se tornaram pequenas ruas com pracinhas. Nós fizemos uma opção por fazer uma arborização completa, um espaço diferenciado, com uma característica mais de praça do que de rua. Esta iniciativa que foi adotada aqui em Brasileia causou uma vontade coletiva de outros prefeitos. Então, nós já estamos fazendo um levantamento com a possibilidade para se usar o padrão dos becos de Brasileia como modelo para toda cidade, que particularmente precisa ter um espaço como este, caracterizado como suas particularidades e histórias”.

Fruto de uma boa parceria entre o governo e o município, Brasileia recebe a construção de quatro novos Becos e a Travessa dos Seringueiros. Beco da Graça, Beco da Marina, Beco Maringosa e Beco do Godô receberam um tratamento especial, a obra conta com pavimentação, iluminação, paisagismo e pintura artística.

A prefeita Leila Galvão disse que, “estamos muito felizes, quase seis quilômetros que foram pavimentados nesta primeira fase e foram inclusos os tradicionais Becos que guardam histórias dos habitantes. Se não fosse essa parceria com o governo, a prefeitura não teria condições de realizar um trabalho desse tamanho, com essa qualidade. A própria comunidade no entorno dos Becos já reivindicavam bastante. É um sonho não só para nossa administração, mas também como para a população que mora nesses Becos.