BR-364 não tem indicativo de paralisação proposto pelo TCU

Neste ano os analistas ficaram dez dias fiscalizando a BR, e finalizam o trabalho com um relatório

Os questionamentos apontados pelos analistas do Tribunal de Contas da União referentes às obras da BR-364 estão em fase de resposta. O Deracre, órgão responsável pela execução da obra, já apresentou dentro dos prazos estabelecidos a documentação necessária para resolver as pendências.

De acordo com o diretor-presidente do Deracre, Marcus Alexandre, anualmente o TCU abre novo processo de fiscalização. Neste ano os analistas ficaram dez dias fiscalizando a BR, e finalizam o trabalho com um relatório apontando as irregularidades. “Não existe nenhum indicativo para paralisação das obras, e a obra está inclusa no orçamento de 2012”, relatou o diretor.

Ao todo no Brasil o TCU apresentou ao Congresso Nacional um relatório indicando irregularidades em 27 obras. O Comitê de Avaliação das Informações sobre Obras e Serviços com Indícios de Irregularidades Graves (COI) recomendou o bloqueio orçamentário, em 2012, de cinco obras com indícios de irregularidades graves. Os gestores das outras 22 obras deram garantias de que os problemas apontados pelas fiscalizações estão sendo solucionados.

A Agência Câmara de Notícias relata que este é o terceiro ano consecutivo em que o COI consegue obter dos gestores a promessa de resolução dos problemas, evitando a paralisação dos empreendimentos. Nas últimas semanas foram realizadas nove reuniões técnicas e uma audiência pública para discutir o assunto com técnicos do TCU e dos órgãos com obras embargadas.