Ato criminoso deixa Sena Madureira sem energia

No final da manhã desta segunda-feira, 23, o secretário de Segurança, Ildo Renir Graebner e o diretor geral de Polícia Civil, Emylson Amorim, durante entrevista coletiva, afirmaram que o empenho em solucionar o crime e prender os criminosos será ainda maior porque o ato de vandalismo atinge a coletividade (Sérgio Vale/Secom)
No final da manhã desta segunda-feira, 23, o secretário de Segurança, Ildo Renir Graebner e o diretor geral de Polícia Civil, Emylson Amorim, durante entrevista coletiva, afirmaram que o empenho em solucionar o crime e prender os criminosos será ainda maior porque o ato de vandalismo atinge a coletividade (Sérgio Vale/Secom)

No final da manhã desta segunda-feira, 23, o secretário de Segurança, Ildo Renir Graebner e o diretor geral de Polícia Civil, Emylson Amorim, durante entrevista coletiva, afirmaram que o empenho em solucionar o crime e prender os criminosos será ainda maior porque o ato de vandalismo atinge a coletividade (Sérgio Vale/Secom)

Um ato criminoso deixou o município de Sena Madureira às escuras no domingo, 22. Quatro torres do linhão que abastece a cidade com energia foram cerradas próximo à Vila Custódio Freire, que fica em Rio Branco. A Eletrobrás ainda não conseguiu restabelecer a ligação e trabalha para normalizar a situação o mais rápido possível.

No final da manhã desta segunda-feira, 23, o secretário de Segurança, Ildo Renir Graebner e o diretor geral de Polícia Civil, Emylson Amorim, durante entrevista coletiva, afirmaram que o empenho em solucionar o crime e prender os criminosos será ainda maior porque o ato de vandalismo atinge a coletividade.

“Há uma extensão de interesse coletivo, é um crime que atinge toda uma cidade. Imagine se na hora do apagão uma criança estava sendo operada no hospital? A polícia vai estar ainda mais empenhada e neste momento há uma mobilização das polícias do estado. Esse crime é repercussão coletiva e atinge de forma transversal todos os setores”, disse o diretor de Polícia Civil.

O secretário de Segurança afirmou que o governador Tião Viana determinou uma investigação rigorosa e pediu que comunicasse o crime à Secretaria Nacional de Segurança para que houvesse o envolvimento da Polícia Federal. “Nós precisamos buscar informações em outros estados e a PF vai nos auxiliar nisto. O governador condena veementemente este ato de vandalismo”, disse.

A polícia trabalha com pistas e já tem algumas suspeitas, que foram mantidas em sigilo para não atrapalhar as investigações. Houve uma tentativa de extorsão, quando uma pessoa ainda não identificada entrou em contato com a Eletrobrás dizendo ter informações privilegiadas e pediu uma quantia em dinheiro para revelar.