Programa Melhor em Casa

Após dois anos internada, criança indígena receberá acompanhamento da Saúde do Acre

Natural de Pauini (AM), o pequeno Francisco Apurinã recebeu alta médica do Hospital da Criança, em Rio Branco, nesta terça-feira, 26, após a viabilização de um respirador portátil adquirido pelo governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre).

Francisco sendo cuidado pelo pai, ainda no hospital. Foto: Odair Leal/Secom

Há quem diga que família também se escolhe e, emocionado ao se despedir dos profissionais com quem cultivou um vínculo afetivo durante os últimos dois anos, o pai do menino, Raimundo Custódio, já considera os servidores parentes.

“A gente fez uma família aqui dentro e, uma hora chega, Deus permitiu que saíssemos hoje e estamos indo”, contou Raimundo Cústodio. De semblante calmo, Raimundo carrega uma história de amor incondicional ao filho e de fé que um dia seu menino estaria de volta ao lar.

Raimundo e a médica, Tereza Maia, que cuidou de Francisco desde sua entrada na unidade. Foto: Odair Leal/Secom

A médica que cuidou do pequeno Francisco desde sua entrada na unidade, Tereza Maia, ressalta o trabalho em equipe e a grandeza do pai da criança. “Ele é um homem muito atencioso, muito forte. A gente não cuidou só do Francisco, também cuidamos do seu Raimundo, e o resultado é esse. É emocionante ele ir para casa”, destacou Tereza.

Paciente e família continuarão sendo assistidos pelo Programa Melhor em Casa, da Sesacre, que atende pacientes acamados, com sequelas neurológicas e de alta complexidade, que precisam de ventilação mecânica ou traqueostomia.

Coordenadora do Programa Melhor em Casa, Jomara Martins. Foto: Odair Leal/Secom

A coordenadora do Programa Melhor em Casa, Jomara Martins, explica que os atendimentos serão regulares, de três a quatro vezes por semana.

“O processo de desospitalização do Francisco foi bastante demorado, mas deu tudo certo e ele está em casa, com a família. Agora, passa a receber a atenção domiciliar com acompanhamento médico, de enfermagem, fisioterapia e fonoaudiológico”, explicou.

Os pacientes são assistidos pelo Melhor em Casa até receberem alta, sendo referenciados para o acompanhamento com o Município.