Alunos do Instituto São José iniciam aulas do Programa de Resistência às Drogas

Os ensinamentos do programa contribuem para que as crianças entendam aspectos da dinâmica social e sobre cidadania (Foto: Jean Messias /PMAC)
Ensinamentos do programa contribuem para que as crianças entendam aspectos da dinâmica social e sobre cidadania (Foto: Jean Messias /PMAC)

Todos os anos, o Programa de Resistência às Drogas e à Violência (Proed) forma alunos do 4º e 5º anos em todo o estado, e na sexta-feira, 15, foi apresentada aos pais das turmas do Instituto São José a finalidade do programa na educação dos estudantes. A solenidade marcou o início das atividades dos militares.

A reunião foi conduzida pelo sargento Cleissomar Anastácio, responsável pelo ensino aos 71 alunos de duas turmas daquela escola.

Trabalhando há oito anos com a educação de crianças pelo Proerd, o policial explica o objetivo do programa. “É importante despertarmos o entendimento da criança para o prejuízo causado pelas drogas e pela violência em sua vida e que, com isso, aprendam a dizer não”, destacou.

Sargento Anastácio destaca a importância em ensinar os pequenos a dizerem não às drogas (Foto: Jean Messias /PMAC)
Sargento Anastácio destaca a importância de ensinar os pequenos a dizerem não às drogas (Foto: Jean Messias /PMAC)

Os policiais que participam das atividades possuem treinamento diferenciado em estados como Santa Catarina, São Paulo e Rio Grande do Sul. Esse contato pedagógico com crianças faz parte da política de Policiamento Comunitário da Corporação.

Israel de França, 34, servidor público, tem uma filha que cursará o Proerd este ano. “Acredito que o programa ajuda no desenvolvimento da criança no ambiente escolar e cria uma relação de confiança com o policial militar, o que acaba se multiplicando para seus amiguinhos e até a nós mesmos, familiares, quebrando essa imagem de bicho-papão que a polícia tem para algumas delas”, disse o pai da pequena Iana.

O Proerd no Acre

Presente no estado desde o ano de 1999, o programa já formou mais de 125 mil crianças desde então. Criado em 1983, com o nome de DARE (Drug Abuse Resistance Education) na Polícia de Los Angeles, EUA, o programa é pautado no trinômio “Escola/Polícia/Família”, e o curso é realizado em 10 encontros semanais.

Além de estar presente em todas as escolas públicas da capital, o programa teve a adesão de diversas escolas particulares. Além de Rio Branco, o curso será ministrado em mais 18 municípios do interior.