Acre sedia encontros para discutir a educação infantil no país

O encontro vai reunir representantes da Unesco, MEC e outros órgãos nacionais e internacionais (Foto:  Marinez Pontes)
Encontro vai reunir representantes da Unesco, MEC e outros órgãos nacionais e internacionais (Foto: Marinez Pontes)

Nesta terça e quarta-feira, 1 e 2, a Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE) sedia dois importantes encontros para discutir a educação infantil.

Representantes de estados brasileiros e da Organização Mundial para Educação Pré-Escolar (Omep/Acre) discutem as políticas de atendimento voltadas à educação infantil nos âmbitos da Meta 1 dos Planos Nacional, Estadual e Municipal de Educação.

A meta 1 trata de universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de quatro a cinco anos de idade e ampliar a oferta de educação infantil em creches de forma a atender, no mínimo, 50% das crianças de até três anos até o fim da vigência deste PNE.

Para ampliar a discussão, o Movimento Interfórum de Educação Infantil do Brasil (Mieib/Acre), o Fórum Acreano de Educação Infantil e a Organização Mundial para Educação Pré-Escolar (Omep/Acre) realizam o I Encontro da Omep/Acre e o V Fórum de Educação Infantil.

O tema é Educação Infantil no Acre: Políticas de Atendimento – Caminhos e Perspectiva. “Intensificar o apoio aos municípios no cumprimento dessa meta é o nosso desafio,” destacou Rubia Cavalcante, diretora de Ensino da SEE.

Omep no Brasil

A Omep é uma entidade filantrópica criada em 1948 e que se ocupa de todos os aspectos relacionados ao cuidado e à educação de crianças de zero a cinco anos.

A instituição atua em 70 países de cinco regiões mundiais, promovendo o benefício de uma realidade social que promova e permita o pleno desenvolvimento do ser humano.

No Brasil, a Omep foi a primeira instituição a defender políticas públicas voltadas à qualidade da educação infantil, em 1953.

A organização tem contribuído, significativamente, com conquistas sociais brasileiras no que tange aos direitos das crianças (artigo 277 da Constituição Federal, Estatuto da Criança e do Adolescente, Constituições Estaduais, Leis Orgânicas, Diretrizes Curriculares Nacionais, Fundeb e outros) e à qualificação e valorização dos profissionais da Educação.

A entidade tem o mérito histórico de atendimento filantrópico a milhares de crianças em todo o território nacional, por meio de creches gratuitas e programas sociais diversos. Em 58 anos de atuação no Brasil, contemplou, aproximadamente, 50 mil profissionais da Educação com formação continuada.