telemedicina

Acre recebe capacitação para atendimento de emergência cardiológica e neurológica

Enfermeiros e médicos que atuam nas unidades de saúde de Cruzeiro do Sul, Tarauacá, Sena Madureira e Brasileia participaram nesta terça e quarta-feira, 25 e 26, da Capacitação no Apoio Diagnóstico e Terapêutico nas Emergências Cardiológicas e Neurológicas por meio da Telemedicina.

Capacitação em Cruzeiro do Sul. Foto: cedida

Elaborado pelo Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS), do Ministério da Saúde (MS), o curso foi ministrado pela equipe do Hospital Albert Einstein, em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), nos municípios.

Com o objetivo de diminuir a morbidade, as sequelas e a mortalidade por doenças cardiológicas ou neurológicas no momento do atendimento, o projeto também capacitará profissionais da saúde na utilização da telemedicina. De acordo com a enfermeira do Albert Einstein, Celiza Gourlarte, a iniciativa é um apoio para os médicos generalistas que atendem em urgência e emergência.

“Caso chegue um paciente de cardiologia ou de neurologia, por meio do suporte da telemedicina, o médico generalista terá à disposição o especialista. Ele receberá o apoio diagnóstico, poderá solicitar uma opinião, poderá fazer uma discussão de caso. Dessa forma, conduzindo melhor esses pacientes, desde o momento que eles chegam na emergência, diminuímos o tempo de internação desnecessária e prevenimos sequelas”, explicou.

Capacitação em Tarauacá. Foto: cedida

O serviço será prestado por meio do suporte em tempo integral, ou seja, 24 horas por dia, sete dias por semana, por médicos cardiologistas e neurologistas. A Telemedicina compreende a oferta de serviços em saúde nos casos em que a distância e o tempo são fatores críticos, usando as tecnologias na troca de informações válidas para o diagnóstico e o tratamento de doenças, além da educação permanente dos profissionais envolvidos.

A secretária de saúde, Paula Mariano, recebeu a equipe do Hospital Albert Einstein na tarde desta terça-feira, 26. Foto: Lilia Camargo/Secom

Para a secretária de saúde, Paula Mariano, a implantação do programa no estado resultará em mais qualidade dos serviços oferecidos nas unidades de saúde do interior. “Sabemos da nossa especificidade de distância. Então, a disponibilização dos serviços de cardiologia e neurologia trará, de forma mais ágil, a resolutividade do problema do nosso paciente”, disse.