soluções

Acre realizará audiência pública sobre temas ambientais, indígenas e regularização fundiária

Na próxima sexta-feira, 6, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) realiza, em Rio Branco, audiência pública que tratará sobre temas ambientais, indígenas, fundiários e agrários na Amazônia Legal. O evento será realizado no auditório do Sebrae, a partir das 14h, e conta com o apoio institucional do Governo do Estado do Acre.

Audiência pública debaterá questões fundiárias, agrícolas e ambientais na próxima sexta-feira, 6 Foto: Arquivo/Secom
Representantes do setor rural e povos tradicionais terão a oportunidade de relatar os impasses existentes, bem como propor soluções nestas questões ligadas ao campo e a floresta. A audiência pública será conduzida pelo secretário especial de Assuntos Fundiários do Mapa, Luiz Antônio Nabhan Garcia.
Luiz Antônio Nabhan Garcia conduzirá audiência pública no Acre Foto: Cedida
O principal objetivo desta iniciativa do governo federal é conhecer as necessidades vivenciadas na zona rural e encontrar alternativas que propiciem o desenvolvimento regional. No total, nove audiências já foram realizadas nos estados de São Paulo, Pará, Mato Grosso, Rondônia, Roraima, Amapá, Maranhão, Mato Grosso do Sul e Tocantins. Além do Acre, o Amazonas será a última unidade da federação a receber a iniciativa.
Grande entusiasta do agronegócio como novo modelo de prosperidade econômica e social para o Acre, o governador destacou que esta será uma excelente oportunidade de debater o desenvolvimento da produção agrícola, a regularização fundiária e, sobretudo, a preservação do meio ambiente.
Entusiasta do agronegócio, governador Cameli elogiou iniciativa do Mapa Foto: Marcos Vicentti/Secom
“Gostaria de parabenizar o ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento pela iniciativa pela realização desta audiência pública e dizer que esta iniciativa vai de acordo com aquilo que queremos para o nosso estado, que é o agronegócio. Para termos uma produção forte é preciso fazer a regularização fundiária, definir todas as questões agrárias e respeitar a natureza. Esta será uma excelente oportunidade para que os interessados possam expor seus problemas e tenho certeza que, a partir daí, serão construídas soluções para o setor rural”, enfatizou o governador.