PREVENÇÃO

Acre participa de Oficina de Planejamento para enfrentamento da hanseníase

A secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), por meio do Departamento de Atenção Primária Políticas e Estratégias (Dape), participou na semana passada, da Oficina de planejamento de ações estratégicas para enfrentamento da hanseníase, ocorrida em Belém, no Pará.

A participação do Acre teve como finalidade auxiliar na descentralização da hanseníase no estado, elaborando estratégias de capacitações para as equipes de Saúde da Família dos 22 municípios acreanos, com ênfase no diagnóstico precoce encaminhamento oportuno ao tratamento, bem como preconiza a linha de cuidado ao paciente da atenção primária.

A participação do Acre teve como finalidade auxiliar na descentralização da hanseníase no estado Fotos: Cedidas

“Foi um momento de troca de experiências com outros estados da Região Norte, onde foi possível ver como os estados estão se preparando para essa realidade que se faz necessário e assim contribuir com as nossas estratégias, bem como adquirir conhecimento dos técnicos do Ministério da Saúde e de outras secretarias de saúde estaduais”, destaca Luiz Carlos Marinho, chefe do Dape.

Além do Dape, também participaram da oficina, representantes das Secretarias Municipais de Saúde, Morhan, e Vigilância em Saúde do Acre. O encontro aconteceu do dia 20 a 22 de novembro.

“Para mim, enquanto militante do movimento social, achei muito proveitoso esse momento. Saímos desse encontro mais convictos que precisamos nos preparar cada vez mais para estratégias de enfrentamento contra a hanseníase. Representei a coordenação nacional do Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela hanseníase, Morhan. Acompanhei o empenho da equipe do Acre, que com muito esforço discutiu e deliberou propostas com base na Estratégia Nacional de Enfrentamento da Hanseníase, que muito vai contribuir no combate a essa patologia. O desdobramento disso certamente irá garantir o envolvimento dos 22 municípios do Acre no enfrentamento à hanseníase e ao preconceito”, reforça Bil Souza, secretário de comunicação do Morhan.