tecnologia

Acre avança com a criação de Departamento de Gestão Integrada de Segurança Eletrônica

A inovação tecnológica é um poderoso motor de mudanças que vem revolucionando o mundo por onde passa. Esse elemento apresenta soluções rápidas e eficientes, facilidade no compartilhamento de informações, reduz custos, auxilia no processo de tomada de decisões e cria infinitas possibilidades que beneficiam o coletivo como um todo. A segurança pública do Acre, nos últimos dois anos, tem investido pesado em tecnologia e na modernização dos serviços, expandindo sua capacidade de atuação estratégica, não só na capital, mas em municípios do interior.

Como um dos avanços, podemos destacar o Departamento de Gestão Integrada de Segurança Eletrônica e Contramedidas, criado por meio do decreto n° 7.847, publicado no Diário Oficial do Estado, em 1° de fevereiro de 2021. O objetivo com a criação é dar celeridade na reestruturação e ampliação de todo parque tecnológico do estado, trazendo eficiência nos níveis de serviço e resultado na coleta de informações que possam favorecer o trabalho da segurança pública.

O sistema está centralizado no Centro de Comando e Controle da capital. Foto: Ascom/Sejusp

O departamento está sustentado nos seguintes pilares:

I. Gestão – Estudos, Implantação, Modernização, Conservação e Capacitação;
II. Integração – Integração às redes de computadores pertencentes ao Estado, à Prefeitura e Privadas. (PF, PRF, IAPEN, Secretarias, Escolas, Hospitais, Shoppings);
III. Segurança eletrônica – Circuito fechado de TV, sistemas de Alarme, Sistemas de Rastreamento, Sistema de Controle de Acesso, Sistemas de Cercamento Eletrônico;
IV. Contramedidas – Procedimentos que objetivam a prevenção, detecção, obstrução e neutralização de possíveis ameaças à segurança institucional, com o emprego de equipamentos eletrônicos.

Câmeras de monitoramento serão instaladas em todo o Estado. Foto: Ascom/Sejusp
A capital possui 29 câmeras de vigilância ativa Foto: arquivo Sejusp

Entre os resultados, o Acre já mantém em pleno funcionamento, o sistema de cercamento eletrônico: tecnologia que permite o acompanhamento de veículos com restrição criminal em tempo real e câmeras de videomonitoramento instaladas em 29 pontos estratégicos na capital ativas, permitindo o acompanhamento da movimentação da cidade 24 horas por dia. Há implantação de câmeras de videomonitoramento também nas cidades de Brasileia e Manoel Urbano, cada município com 10 pontos ativos e implantação de metodologia que tem possibilitado o Estado otimizar ações, no tocante a salvaguarda da frota de veículos e a segurança orgânica dos próprios integrantes da administração direta, por meio de ferramentas institucionais de segurança pública.

“O departamento está vinculado à Secretaria de Segurança Pública e todo o sistema é controlado de dentro do Centro de Comando e Controle. Temos operadores trabalhando 24 horas por dia, acompanhando as câmeras e repassando informações em tempo real aos profissionais que atuam diretamente no combate ao crime nas ruas. Ajuda na recuperação de veículos roubados, auxilia na identificação de pessoas que cometem crimes e também no processo investigativo. Os benefícios são muitos”, explicou Alexandre Nascimento, chefe do departamento de gestão integrada de Segurança Pública.

Alexandre Nascimento, o segundo da esquerda para a direita, é o chefe do departamento criado no Estado Foto: Ascom/Sejusp

Investimentos em andamento

A Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp) já está em fase de projeto, o planejamento para ativação de toda a estrutura tecnológica de videomonitoramento que se encontram desativadas no estado, além da implantação de fibra ótica em parceria com empresas privadas. Os municípios de Capixaba e Sena Madureira já estão em processo de transição. Serão colocados 10 pontos de videomonitoramento em pontos estratégicos desses municípios. O cerco eletrônico também será ampliado para atuação na região de Brasileia e Epitaciolândia, áreas de fronteira e que necessitam do monitoramento dos veículos que passam pela região.

Serão instalados 10 pontos em cada localidade. Foto: Ascom/Sejusp

Outro investimento que está em fase final de assinatura é a implantação de tecnologia que permite o reconhecimento facial nos pontos onde há maior circulação de pessoas em Rio Branco. O investimento deve facilitar na identificação de possíveis autores de crimes, através do fornecimento de informações pelo banco de dados do sistema integrado de segurança pública.

“O mundo está evoluindo, com ele a forma de cometer crimes, precisamos acompanhar sua evolução”, declarou Paulo Cezar Foto: arquivo Sejusp

O secretário de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp), Paulo Cezar Rocha dos Santos, informou que também está em processo de negociação com empresas privadas, para a integração dos sistema de monitoramento particular com o Centro Integrado de Comando e Controle, ampliando assim a capacidade de alcance da Segurança Pública.”A maior finalidade com a criação do Departamento é resgatar e restaurar todo o sistema de monitoramento eletrônico que já tínhamos existente no Estado e que estava abandonado, em seguida, integrá-los ao Centro de Comando e Controle e, por fim, ampliar o alcance dessas ferramentas. Com isso teremos condições de combater crimes, bem como melhorar a qualidade de investigações e reduzir os índices de criminalidade em todo o Estado. Também com a ampliação do cerco eletrônico, a ferramenta de reconhecimento facial facilitará o cumprimento de mandados, identificará alvos e permitirá seu acompanhamento em tempo real. Precisamos aproveitar a tecnologia e fazê-la funcionar em nosso favor. O mundo está evoluindo, com ele a forma de cometer crimes, precisamos acompanhar sua evolução”, finalizou Paulo Cezar.