interação

Acadêmicos da Ufac conhecem Centro Integrado de Geoprocessamento e Monitoramento Ambiental

Os acadêmicos do curso de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Acre (Ufac) conheceram as múltiplas ferramentas tecnológicas do Centro Integrado de Geoprocessamento e Monitoramento Ambiental (Cigma), na manhã desta segunda-feira, 21.  A atividade foi solicitada pela Ufac e incluída na programação do Mês do Meio Ambiente, realizada pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Acre (Sema) e vários parceiros institucionais.

Técnicos da Sema destacaram a importância da tecnologia na fiscalização e combate aos crimes ambientais. Foto: Cedida

Devido à situação de pandemia, a apresentação foi realizada ao vivo no canal da Sema no Youtube (clique aqui e acesse o vídeo) e contou com a interação de estudantes, professores, técnicos e gestores. O professor da disciplina de Ecologia da Amazônia da Ufac, Carlos Edegard de Deus, destacou a importância da apresentação do Cigma aos estudantes.

Diretora executiva da Sema, Vera Reis Brown, e o professor do curso de Ciências Biológicas da Ufac, Carlos Edegard de Deus. Foto: reprodução

“Estou ministrando a disciplina Ecologia da Amazônia do curso de Ciências Biológicas. Fiz um convite à doutora Vera Reis, para que apresentasse o Cigma aos acadêmicos, para que conhecessem esse importante instrumento do governo estadual, que conta com modernos satélites espaciais que auxiliam na fiscalização e combate aos crimes ambientais e ainda permitem o  monitoramento hidrológico e meteorológico em todo Acre”, destacou Edegard de Deus.

Após as apresentações, Vera Reis Brown detalhou o importante papel da Sala de Situação e Monitoramento Hidrometeorológico, da Unidade Central de Geoprocessamento (Ucegeo), do Escritório Técnico de Gestão do Cadastro Ambiental Rural e do Programa de Regularização Ambiental (CAR/PRA), além da Divisão de Geoprocessamento do do Instituto de Meio Ambiente (Imac), os quais integram o Cigma.

Vera Reis  detalhou o uso de toda a tecnologia utilizada no Cigma, incluindo as plataformas para monitoramento de indicadores de funcionamento de queimadas, o sistema de alerta antecipado que assegura a elaboração de estratégias de ação e ainda um panorama dos projetos em andamento pelo governo do Acre.

“Hoje podemos ter ainda informações para que as principais instituições do Sistema de Meio Ambiente do Estado possam desenvolver e implementar as suas ações e, nessa área, de um modo geral, no que se refere especificamente às ações de comando e controle, regularização ambiental e regularização fundiária”, explicou.

O Cigma é coordenado pela Sema e conta com a parceria do Instituto de Meio Ambiente (Imac), do Instituto de Terras (Iteracre), do Instituto de Mudanças Climáticas (IMC) e da Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac).

Apresentação do Cigma contou com a interação de estudantes, professores, técnicos e gestores, por meio do YouTube.  Foto reprodução