A grande viagem de Luiz Mendes

Luiz Mendes Foto: Lou Gold

No dia, 29 de junho de 2020, dia de São Pedro, completamos um ano de muita saudade: um ano do falecimento de Luiz Mendes do Nascimento, estimado ancião acreano. Seguindo ao lado de sua esposa e de sua grande família uma longa trajetória de vida dedicada ao Daime, tal ancião constituiu um acervo vivo da doutrina do Mestre Irineu (com o qual conviveu de 1952 a 1971): orador, xamã, poeta da diversidade, narrador, professor, artista do verbo, contador de histórias, homem-memória, arauto do rei Juramidam, jogral de Deus, centurião, conselheiro, festeiro, o padrinho Luiz, passarinho artista, rouxinol, na diversidade e arte de seu contar e cantar. Em homenagem, escrevi e compartilhei um texto, logo após o ocorrido: “A grande viagem do Mestre Conselheiro Luiz Mendes, o orador do Mestre Raimundo Irineu Serra”; um pouquinho da grandiosidade, da profundidade, da beleza (mesmo em que pese a grande dor…), da travessia de luz vivida na Comunidade Fortaleza (Capixaba – Acre) entre os dias 22 de junho e 7 de julho do ano de 2019, em pleno festival junino. O texto é longo e não caberia transcrevê-lo; mas no intuito de realizar uma singela homenagem, narro aqui um brevíssimo resumo.[1]

Condizente com sua personalidade, o senhor Luiz afirmava que, quando se ausentasse, não queria tristeza! De preferência, em seu velório, gostaria de um hinário bailado, com queima de fogos! (Na brincadeira, cogitou até a possibilidade de um forró!)  Ele queria uma festa. E, de certa forma, assim foi… não bailado, não com tantos fogos, não com forró…, mas…dentro das possibilidades emocionais de todos nós que ficamos, com a lembrança e a dor da despedida, foi uma festa. Uma grande e bonita celebração com a presença de muitas pessoas; muitos seres (humanos e espirituais); bem ao estilo do estimado Centurião. Uma grandiosa e belíssima confraternização – diríamos até, universal – direcionada para o bem-estar desse patriarca tão amado; confraternização iniciada no dia 23 de junho com a ampla corrente formada no festejo de São João, alcançando seu auge no dia de São Pedro (com a passagem de Luiz Mendes para o mundo espiritual) e concluída no dia 6 (para 7) de julho, data da passagem do Mestre Irineu, quando celebramos a missa de sétimo dia do querido ancião. O chamado com certeza foi do Mestre; o caminho já se encontrava aberto e o viajante preparado e bem acompanhado. De nossa parte oferecemos o melhor que pudemos, na intenção que nosso bom companheiro fizesse uma boa viagem.

Diante do que presencie, na Terra e no Astral, posso dizer com confiança que Luiz Mendes cumpriu sua missão. Seguindo os passos do Mestre na escola de sua professora, a Rainha da Floresta, onde foi aluno e é também professor, esse homem tão grande e tão humilde, com seu coração mansinho, e sua alegria contagiante, trabalhou e alcançou. Sofreu… até porque como ele mesmo cantava, “sem sofrimento é difícil de alcançar…”. Então teve que sofrer… até em sua despedida, teve que passar aquela semana internado… talvez até uma consideração para conosco… para que tivéssemos tempo de assimilar aquela passagem… talvez para o cumprir o que estava destinado e fazer sua passagem durante a execução do seu hinário, no dia de São Pedro. Mas como ele bem afirmou, logo lhe chegou o conforto. E até onde pudemos observar, ele fez uma bela travessia. E, com a Luz da Santa Guia, Luiz Mendes, com certeza, se iluminou!

E em sua iluminação, acredito, ilumina um pouquinho mais cada um de nós! Até porque, a exemplo do Mestre, ele não objetiva (e nunca objetivou) chegar sozinho a lugar nenhum… daí que essa lembrança é boa! Essa esperança, essa certeza, nos alimenta e nos conforta. E nos dá força para seguirmos a jornada e – a exemplo do Mestre Conselheiro, contando sempre com o seu amparo – trabalhar incansavelmente sonhando com um bom lugar. Trabalhando e sonhando então para que, quando chegar a hora de nossa viagem derradeira, nossa estrela esteja brilhando com a pureza divinal e o padrinho, juntinho ao nosso Mestre Juramidam, venha nos buscar para habitarmos com eles, na Estrela D’Alva, em seu Palácio de Cristal.

Oh meu Pai se for castigo

Vós pode me castigar

Mais eu sempre peço a Vós

Conforto para atravessar

 

Logo me chegou o conforto

Com a luz da santa guia

Iluminou o meu caminho

Eu fiz uma travessia

 

 

No final eu me abismei

Vi um palácio de cristal

Com a luz da santa guia

Eu acendi meu castiçal

 

As lembranças do passado

Nelas eu posso me centrar

Mesmo eu saindo daqui

Tudo eu hei de me lembrar

 

 

Foi a luz da santa guia

Que fez eu me originar

Para eu trabalhar

incansavelmente

Sonhando com um bom lugar

 

(Hino nº 33 do Novo Horizonte, Luiz Mendes)

Enfim, “no adeus da despedida, saudade fica, saudade vai…”. A presença viva do padrinho Luiz será para sempre lembrada! Seu corpo volta à Terra e sua voz terrena silencia, mas seu espírito permanecesse vivo e suas palavras eternizadas em nossos corações. E, dentro do mistério do plano divino, o oceano de sua vida, ciência e poética se encontra agora eternizado também, pelo menos em gotas, no livro em seu nome publicado “O Orador do Mestre Raimundo Irineu Serra: diálogos, memórias e artes verbais”. Esse livro, feito com muita dedicação e carinho, tecido em diálogo com o querido Luiz Mendes, é uma homenagem a esse grande homem. Uma forma de expressar nosso carinho e gratidão por ele compartilhar conosco sua existência tão generosa e sincera; tão sábia e poética; tão humilde, alegre e iluminada! E por trazer, para junto de nós, a presença viva do Mestre Irineu.

Muito obrigada, querido amigo velho!

São Pedro abriu a porta e o céu está em grande festa com a chegada desse centurião oficial.

Voa livre! Lembra sempre de nós… E levas contigo o Amor!

 

Fernanda Cougo é Mestra em Letras: Linguagem e Identidade pela Universidade Federal do Acre. Autora do livro: O Orador do Mestre Raimundo Irineu Serra: Diálogos Memórias e Artes Verbais. Nepan, Rio Branco, 2019. cougo.fer@gmail.com

Para ler o texto na íntegra e/ou saber mais sobre Luiz Mendes e o livro publicado acesse:  https://companhiacasmerim.wordpress.com/cia-casmerim-e-o-orador-do-mestre-raimundo-irineu-serra/