105 anos do Tratado de Petrópolis

Binho inicia obras da 4ª Ponte e autoriza  licitação para novo eixo viário de Rio Branco

quarta_ponte_foto_gleilson_miranda_04.jpg

Binho lembrou que as obras marcam os 105 anos do Tratado de Petrópolis. Foto: Gleilson Miranda/Secom

Veja a galeria de imagens

Como parte da programação comemorativa aos 105 anos do Tratado de Petrópolis, o governador Binho Marques deu início nesta segunda-feira (17) às obras de construção da 4ª Ponte sobre o rio Acre e autorizou abertura de licitação para implantação de ruas e avenidas do novo eixo viário de Rio Branco, as quais atendem ao Plano Diretor de Trânsito. Orçada em R$24.783.185,30, a ponte em concreto protendido (sistema que melhora a resistência) terá 290 metros de extensão por 19,30 de largura, e ligará as ruas Epaminondas Jácome e Seis de Agosto, criando os três primeiros viadutos da capital nas ruas Cearense, Santa Terezinha e Epaminondas Jácome. Este último terá 19 metros de extensão por 4,60m de altura. Somadas as duas obras,  o Governo irá investir cerca de R$50 milhões no projeto.

Pelo menos 8,2 mil famílias serão beneficiadas diretamente com esse projeto cujos reflexos, no entanto, são comparados aos do Parque da Maternidade, que transformou a paisagem e atendeu a toda a população da cidade. O projeto é realizado em parceria com a Prefeitura de Rio Branco.  Os recursos são do Tesouro Estadual e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) Fase III.  A obra, cujo prazo de implantação é de vinte meses, utilizará o que há de mais moderno na engenharia de pontes, e terá componentes que a colocará entre as mais belas da cidade. Os postes, por exemplo, serão de aço inoxidável.

De acordo com Raul Leitão, diretor do Consórcio Novo Acre, responsável pela construção da ponte, serão empregados pelo menos 100 pessoas, com possibilidade de oferta de dezenas de outros postos de trabalho indiretos. O Novo Acre é formado pela Construtora Cidade e Eleacre Engenharia, ambas sediadas em Rio Branco.

Diretamente, os bairros que serão atendidos com o complexo de obras do novo eixo viário são Cadeia Velha, Areal, Mauri Sergio, Habitasa,  Baixado da Habitasa e Seis de Agosto, entre outros.  Até esta fase do projeto, doze famílias foram remanejadas da área de influência da obra no bairro Seis de Agosto. Todo o processo de intervenção  vem sendo monitorado pela Comissão de Acompanhamento,  composta por moradores do bairro, e pelo serviço de ação social do Governo do Acre.  Os membros efetivos da comissão  são Oséias Silva, Maria Eunice, Raimundo Saldanha, Antônio Domingos, Ielielson Vale, Ederjonson Taveira. O grupo foi eleito no dia 25 de setembro pela população do Seis de Agosto.

Através de documento assinado por Binho Marques, o Departamento de Infra-Estrutura Hidroviária e Aeroviária (Deracre) está autorizado a iniciar concorrência pública para contratação da empresa que irá implantar o complexo de obras que implantará o novo eixo viário de Rio Branco, que começará na 4ª Ponte, passará pela rua Seis de Agosto, que será totalmente urbanizada e modernizada, em seguida alcançará a pista de aviação do antigo aeroporto ligando imediatamente ao Estádio Arena da Floresta e Via Chico Mendes  criando acesso rápido à BR 364. Com a realocação de edificações, o Governo do Estado irá construir novas escolas na região. 

4-ponte-fotoinsero-r4-l.jpg

Leveza nos traços e localização estratégica fazem da 4ª Ponte um empreendimento que concilia beleza com planejamento urbano formulado com a comunidade

Ao final da cerimônia, Binho e o prefeito Raimundo Angelim acompanharam o trabalho da perfuratriz, a máquina que irá instalar os pilares da ponte. O ato foi assistido por autoridades, ativistas comunitários e moradores do Segundo Distrito.

Pista se transforma em acesso viário e parque urbanizado

A antiga pista de pouso será aproveitada em uma rede de acesso a Via Chico Mendes, Estádio Arena da Floresta, Via Verde e BR 364.  Em suas  laterais será implantado um parque com espaços e arborização que o tornarão parecido com o Parque da Maternidade, com sistema que privilegia primeiro o pedestre, o ciclista e o motorista.

Sobretudo, é uma obra de inclusão social e promoção humana.  Parte da  área do eixo foi  doada pelo empresário Jimmy Barbosa, procurador de sua mãe, Eloísa Levy Barbosa, herdeira  de seu marido, Amadeu Barbosa, cujo nome batizará a mais importante avenida do eixo.

Amadeu Barbosa nasceu na cidade de  Vizeu, em Portugal. Viveu e trabalhou nos seringais do Acre durante décadas. Foi dono do Seringal Belo Jardim, que deu origem a vários bairros de Rio Branco.

"Para se ter uma idéia da importância deste projeto, a população de Rio Branco cresce 4% ao ano e a frota de veículos, 15% ao ano. Mas ela não só melhora o trânsito como eleva a qualidade de vida dos moradores de toda a cidade", afirmou Marcus Alexandre, diretor-geral do Deracre.  Estudos realizados pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Superintendência Municipal de Trânsito de Rio Branco  (RBTrans) e Deracre indicam que nos horários de pico circulam em 4.000 veículos por hora sobre as pontes de Rio Branco. Um fluxo intenso, que precisa de uma rota de desafogamento. Com a 4ª  Ponte, os congestionamentos irão ser reduzidos consideravelmente no Centro.

"Não podemos nenhum ano deixar de comemorar o Tratado de Petrópolis", diz governador

O conjunto de obras que está sendo apresentado  pelo governador em Rio Branco e Cruzeiro do Sul marcam os 105 anos do Tratado de Petrópolis, acordo que na opinião de Binho Marques se constituiu na segunda vitória do Acre sobre a contestação estrangeira e o ingresso do Brasil na Questão Acreana. Por tudo isso, a data não pode ser esquecida. "Não podemos em nenhum ano deixar de comemorar este dia, o aniversário do Tratado de Petrópolis", afirmou o governador.  "E nada melhor do que comemorá-la aqui, no bairro Seis de Agosto, uma comunidade muito importante para Rio Branco".

Conheça o Plano Diretor de Trânsito de Rio Branco

A 4ª Ponte sobre o rio Acre está apontada como obra prioritária no Plano Diretor de Trânsito e Transporte de Rio Branco, que é um banco de dados construindo pelo Governo e Prefeitura  para apoiar a política para o setor durante os próximos dez anos. O PDTT visa o seguinte:

-Priorizar politicamente os sistemas públicos de transporte coletivo e apoiar a municipalização efetiva do trânsito

-Propor melhoria de qualidade dos serviços, dando ênfase ao atendimento e informação ao usuário e a garantia de um sistema de transporte e trânsito confiável, que possibilite a redução dos custos operacionais e a garantia de tarifas apropriadas.

-Formular proposições para aumento da eficiência da operação dos sistemas de transporte e trânsito.

-Propor medidas de equilíbrio com o meio ambiente, através da redução dos índices de poluição sonora e atmosférica por veículos automotores.

-Propor programas de incentivo à utilização de meios de transporte não poluentes, buscando como objetivo final melhorar a qualidade de vida na cidade.

-Formular recomendações voltadas para a segurança, considerando programas de educação de transporte e trânsito que busquem a redução de acidentes e os conseqüentes custos sociais e econômicos.

quarta_ponte_foto_gleilson_miranda_01.jpg

Binho Marques, Raimundo Angelim e deputados desceram a placa de início da 4a Ponte. Foto: Gleilson Miranda/Secom 

No início dos trabalhos da 4ª Ponte, Binho ressaltou o caráter de inclusão humana das obras: "estamos revitalizando  nossa cidade para aqueles que mais precisam".

{xtypo_rounded2}

O QUE ELES DISSERAM

oqueelesdisseram_4ponte.jpg{/xtypo_rounded2}

4ª Ponte

{gallery}4ponte{/gallery}