A vice-governadora do Acre, Mailza Assis, reuniu-se na noite desta quinta-feira, 29, com gestores e equipe técnica do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), para tratar do projeto do Acre no Fundo Amazônia. O encontro foi realizado na sede do banco, no Rio de Janeiro (RJ), e contou com a participação da diretora socioambiental da instituição, Tereza Campelo, e do superintendente da área de meio ambiente, Nabil Moura, além da secretária adjunta de Planejamento do Estado, Kelly Lacerda.

A proposta do Acre no âmbito do Fundo Amazônia já foi aprovada e considerada pioneira em todo país, segundo o corpo técnico do BNDES. “Trata-se de uma proposta ousada, que nos deixa muito satisfeitos, pois, quanto mais bons exemplos pegarmos, mais fácil replicar em outros países”, relatou Tereza.

O projeto foi aprovado e agora segue para fase de assinatura, efetivando quase R$ 100 milhões. Foto: André Telles/BNDES

O Acre foi o primeiro estado a apresentar projeto ao Fundo Amazônia, que visa à efetivação de quase R$ 100 milhões em recursos para execução das ações, referentes ao enfrentamento às queimadas e desmatamento, bem como à mitigação de outros eventos naturais extremos, como as alagações.

A vice-governadora apresentou a situação em que o estado se encontra, com a cheia dos principais rios e afluentes, apontando as principais dificuldades que o governo enfrenta para garantir assistência às famílias atingidas pela alagação.

“Estamos vivendo uma situação de calamidade pública. Já são mais de cem mil pessoas atingidas pelas enchentes, em 19 dos nossos 22 municípios. Estamos com uma força-tarefa grandiosa, atuando em todas as linhas de frente, mas sozinhos não conseguiremos fazer tudo o que é preciso. O governo federal garantiu apoio imediato e esse recurso, que vai chegar por meio do Fundo Amazônia, vai melhorar o nosso trabalho no futuro”, relatou.

A coordenação do projeto do Fundo Amazônia no Acre é realizada numa parceria entre Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), que vai gerir as ações, e a Secretaria de Estado de Planejamento (Seplan), que faz o gerenciamento do crédito. Uma vez que a proposta já foi aprovada, a próxima fase é de entrega de documentação para assinatura do contrato, que, segundo a coordenação do banco, deve ser efetuada nos próximos dias.

“Podemos ficar tranquilos em relação aos protocolos, pois o Acre está em situação de regularidade, inclusive já com outras operações de crédito em andamento”, garantiu a secretária Kelly.

A vice-governadora apresentou outras pautas, como a regularização fundiária rural e saneamento ambiental. Foto: André Telles/BNDES

Além do Fundo Amazônia, a vice-governadora apresentou outras pautas, como a regularização fundiária rural e o saneamento ambiental, e manifestou interesse em inserir a participação do Acre no mais novo edital do BNDES, de apoio a mecanismos de interlocução e negociação entre as escolas da zona rural e incentivos à agricultura familiar nesses ambientes, por meio de relações comerciais entre governo e pequenos produtores.

“Acreditamos que o Acre terá um bom desempenho, especialmente porque acompanhamos todo esse processo bem perto. O governo realiza um excelente trabalho de cooperação federativa com as instituições e isso também transmite segurança”, explicou Nabil.