patrulhamento

Vias de Rio Branco são interditadas para garantir segurança e facilitar socorro às vítimas da enchente

Por Abigail Sunamita

O Acre enfrenta uma situação de calamidade pública, um momento extremamente delicado em que Rio Branco, Xapuri, Brasileia, Epitaciolândia e Assis Brasil, cidades do Vale do Acre, sofrem com a cheia de rios e igarapés. O momento exige atenção do Estado e municípios em diversos segmentos da gestão pública, principalmente no trânsito da capital. Nesta quinta-feira, às 9 horas, o nível do Rio Acre era de 17,22m.

Em alguns trechos, apenas veículos envolvidos nas operações de socorro às vítimas podem circular. Foto: Dhárcules Pinheiro/Sejusp

Com equipes fixas e realizando patrulhamentos, a Coordenadoria Integrada de Fiscalização de Trânsito (Ciftran) e a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (RBTrans) têm trabalhado diuturnamente para garantir a segurança de todos. Em decorrência da elevação do nível das águas do Rio Acre em pontos específicos da capital, foi necessária a interdição de algumas ruas.

Vias interditadas

– Rua Venezuela e Rua Argentina, no bairro Habitasa;
– Rua 17 de Novembro, no trecho do Mastro da Bandeira;
– Travessa Praxedes, no bairro Seis de Agosto;
– Ponte Juscelino Kubitschek (Ponte Metálica).

Para propiciar mais fluidez do trânsito na região central, a Rua Epaminondas Jácome está operando na contramão de direção. Já a Ponte Cel. Sebastião Dantas opera em sentido duplo. Todos os caminhões e veículos envolvidos nas operações de remoção de famílias desabrigadas têm livre acesso nos pontos de interdição.