Vacinação contra H1N1 é realizada no sistema penitenciário do Acre

Sistema Carcerário inicia a vacinação contra influenza H1N1 (Foto: Divulgação Iapen)
Sistema carcerário inicia a vacinação contra influenza H1N1 (Foto: Divulgação Iapen)

Dando cumprimento às determinações do Ministério da Saúde (MS) e seguindo a política nacional de saúde da pessoa privada de liberdade, o governo do Acre, por meio do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), iniciou na manhã desta segunda-feira, 2, a campanha de vacinação contra a gripe H1N1, no sistema penitenciário acreano.

A ação abrange oito unidades penitenciárias do estado, como explica a gerente de Reintegração Social e Saúde do Iapen, Madalena Ferreira. “A meta estipulada pelo Ministério da Saúde prevê que toda a população carcerária do Acre esteja protegida contra o vírus, além de agentes e demais funcionários vinculados ao setor que se encontram dentro do grupo de risco estabelecido pelo MS”, comentou.

Madalena diz ainda que o confinamento em que os reeducandos vivem aumenta o risco de difusão de vírus, pois uma epidemia dentro de um presídio pode decorrer em complicações maiores, com custos mais elevados no tratamento.

Atenção

Os principais sintomas da gripe H1N1 são febre, calafrios, tremores, dores de cabeça, dor de garganta e rouquidão, tosse seca e coriza. O diagnóstico é feito por avaliação clínica e exame laboratorial.

A transmissão acontece pelo contato com pessoas infectadas, ao tossir, espirrar ou falar. A H1N1 pode ser transmitida, ainda, por meio indireto do contato com as mãos, após contato com superfícies contaminadas por secreções respiratórias e a higienização das mãos é uma das formas de prevenção.