Incentivando a doação

Transplantes e doação de órgãos são temas de fórum promovido pelo Huerb

Público compareceu em grande número ao fórum de doação de órgãos do Huerb (Foto: Júnior Aguiar)

Como parte da programação do Setembro Verde, mês dedicado ao debate sobre doação e transplante de órgãos, a Central Estadual de Transplantes e a Organização de Procura de Órgãos (OPO) realizaram na tarde da última quinta-feira, 15, o II Fórum de Doação e Transplantes de Órgãos e Tecidos do Huerb.

Participaram do evento acadêmicos da área de saúde, servidores do hospital, transplantados e doadores.

O evento teve como palestrantes o cirurgião responsável pelas equipes de transplantes do Acre e do Hospital Bandeirantes, em São Paulo, Tércio Genzini e o coordenador técnico do Banco de Olhos de Sorocaba, Hudson Vergennes.

De acordo com o diretor do Huerb, Fabrício Lemos, o Fórum tem como objetivo sensibilizar sobre a importância da doação de órgãos. “O Huerb é o maior notificado de potenciais doadores de órgãos no estado. 80% das doações concretizadas saem daqui. Queremos aumentar ainda mais esses números e colaborar mais ainda para salvar vidas”, disse.

O enfermeiro Vergennes discorreu sobre a experiência da cidade de Sorocaba com as doações e transplantes de córneas. O Banco de Olhos de Sorocaba é referência no Brasil em transplantes do tipo, e é o banco de olhos que mais capta córneas no país.

“Recebemos uma média de 500 doações por mês, totalizando mil córneas. Das quais 70 são aproveitadas. Pessoas de todo o Brasil vão à cidade para realizar o transplante por lá, pois temos a lista de espera mais rápida do Brasil”, disse Vergennes.

Médico Tércio Genzini é o precursor dos transplantes de fígado no Acre (Foto: Júnior Aguiar)

O cirurgião da equipe de transplantes de fígado do Hospital das Clínicas (HC) de Rio Branco, Tércio Genzini falou sobre as dificuldades encontradas para se efetivar as doações em todo o Brasil.

“O principal motivo para que não haja doações de órgãos ainda é a recusa familiar e é nisso que nós profissionais temos que focar, em desmistificar a doação e conscientizar as pessoas sobre a importância e os benefícios da doação de órgãos”, enfatizou Genzini.